Sinecologia

Mestre em Ecologia e Manejo de Recursos Naturais (UFAC, 2015)
Graduada em Ciências Biológicas (UFAC, 2011)

A sinecologia é o ramo da Ecologia que analisa as relações entre indivíduos pertencentes a diversas espécies e o meio em que elas vivem, ou seja, ela estuda o comportamento das comunidades biológicas. É diferente da autoecologia (ramo clássico da Ecologia), que estuda as relações de uma única espécie ou de um indivíduo com o seu meio. A sinecologia busca explicar como várias espécies de seres vivos interagem entre si e como são influenciadas pelas diversas condições ambientais do meio em que elas vivem.

A sinecologia foi estabelecida como o verdadeiro propósito da Ecologia durante o 1º Congresso Internacional de Ecologia, ocorrido em Haia em 1974. A partir disso a Ecologia moderna passou a se concentrar no estudo dos ecossistemas, os quais são compostos por componentes físicos, como o solo, a água, a luz, etc., componentes químicos, como o oxigênio, o pH, os nutrientes e outros, e por organismos, sendo que todos estes elementos estão integrados.

A sinecologia pode ser dividida de acordo com os tipos de ambiente, como o ambiente terrestre e o aquático. O estudo dos ecossistemas terrestres abrange aspectos como microclimas, química dos solos, umidade, luz, vegetação e fauna. No caso dos ecossistemas aquáticos os estudos dão ênfase aos parâmetros físico-químicos da água e aos organismos aquáticos.

Os estudos sinecológicos podem adotar duas formas de abordagem: a estática e a dinâmica. O ponto de vista estático, ou sinecologia descritiva, busca analisar os grupos de organismos em um meio determinado, obtendo informações sobre a composição específica dos grupos, a abundância, a frequência, a constância e a distribuição espacial das espécies. Já o ponto de vista dinâmico, ou sinecologia funcional, busca descrever a evolução temporal dos grupos, analisando os fatores que influenciam na sucessão desses grupos em um determinado local, e estudar os transportes de matéria e energia entre os diversos componentes do ecossistema, o que leva aos conceitos sobre cadeia alimentar, pirâmides de número, biomassa e energia, produtividade e rendimento.

A área de estudo da sinecologia é bastante ampla, por isso ela não é facilmente quantificável. Apenas mais recentemente, com o surgimento da era eletrônica e atômica, a sinecologia desenvolveu instrumentos para analisar sistemas complexos e iniciou sua fase experimental. Mesmo diante de algumas limitações, a abordagem sinecológica continua sendo a principal forma para compreender o funcionamento dos ecossistemas. Entre os conceitos mais importantes desenvolvidos pela sinecologia estão: o ciclo dos nutrientes, as reservas energéticas e o desenvolvimento dos ecossistemas. Além disso, os estudos sinecológicos são muito importantes para o desenvolvimento de estratégias de conservação que tenham como objetivo preservar as comunidades como um todo e não apenas uma espécie em particular.

Referências:

Cassini, S. T. Ecologia: conceitos fundamentais. (Texto preliminar para o Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental - PPGEA UFES). Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Centro Tecnológico (CT). Vitória (ES), 2005.

Primack, R. B. e Rodrigues, E. Biologia da Conservação. Londrina, 2001. 327p.

Arquivado em: Biologia, Ecologia