Desenvolvimentismo

Graduado em Geografia (Centro Universitário Fundação Santo André, 2014)

O termo "desenvolvimentismo" foi criado para se referir às políticas de desenvolvimento econômico tomadas por governos após a década de 1930, em resposta a grande crise econômica que ocorreu em 1929 com a quebra da bolsa de valores de Nova York. O aumento da industrialização e ampliação das infraestruturas são processos ligados a esse fator, em busca de ampliar o desenvolvimento econômico, político e social.

O desenvolvimentismo teve seu apogeu principalmente após a Segunda Guerra Mundial, pois o clima político e social estavam abalados, com isso foi possível adotar estratégias nacionais com intenção de crescimento interno, a industrialização e em avanços sociais.

É esperado que o desenvolvimentismo possua como características principais:

  • A formulação e legitimação de estratégia para o desenvolvimento produtivo e do projeto nacional;
  • A promoção da acumulação de capital (bens de valor e dinheiro) no território nacional, com seletividade setorial e tecnologias de ponta, visando à maior agregação de valor no país;
  • O estímulo à formação de empresas competitivas para o mercado mundial;
  • A incentivo ao progresso científico e tecnológico vinculado à produção do país e sob controle do Estado nacional;
  • A regulação do comércio exterior e das relações financeiras externas;
  • O impulso para a estabilidade macroeconômica em sentido amplo (moeda e preços, juros, câmbio, contas públicas e contas externas).

Diversos países adotam essa metodologia de desenvolvimento, porém nem todos saem satisfatórios com isso, principalmente os países com menor desenvolvimento econômico como os da América Latina e África.

No que diz respeito aos países menos desenvolvidos os principais problemas relacionados à aplicação do desenvolvimentismo está na falta de estratégias para combater as diferenças sociais, mesmo que em contraponto possa ter gerado um aumento do PIB de alguns desses países e gerado empregos a partir da industrialização. Muitas gerações de postos de trabalhos ocorreram utilizando mão de obra barata, com isso os fatores de bem estar social e diminuição das diferenças não conseguiram ser atingidos.

Uma das principais críticas a esse sistema é a não viabilização de políticas sociais em busca de diminuir as diferenças, pois em geral é executado por grupos que visam um retorno financeiro, por exemplo os bancos que forneceram empréstimos a Estados nacionais tiveram interesse nos juros para que obtenham maior retorno monetário.

Desenvolvimentismo no Brasil

No Brasil a aplicação do desenvolvimentismo ocorre principalmente com o governo de Juscelino Kubitschek (1956 - 1961) a partir de um projeto de Plano de Metas, esse estabelecia um desenvolvimento no país para atrair indústrias estrangeiras em busca de auxiliar na questão econômica, na geração de empregos e no aumento da qualidade de vida, embora o último não tenha ocorrido como o planejado.

De modo geral as políticas adotadas pelo governo de Kubitschek implicaram em uma transformação no setor econômico do país, consolidando uma cooperação internacional no plano econômico, político e cultural para o Brasil.

O Plano de Metas desenvolvido por Juscelino envolvia uma intervenção maior do Estado na economia (intervencionismo), um aumento da participação do capital privado nacional no processo de industrialização e na incorporação do capital estrangeiro. A participação de capital estrangeiro tinha como condição a superação do subdesenvolvimento econômico no país, sendo utilizados investimentos diretos, financiamentos ou empréstimos para auxiliar no crescimento econômico.

Juntamente ao discurso desenvolvimentista havia um nacionalista, que impunha um caráter de compreender o Brasil como um país rico em recursos que com um avanço econômico, tecnológico, com industrias e infraestrutura poderia se equiparar a outros países desenvolvidos.

Os governos militares que assumem o controle do país durante a ditadura adotam os mesmos conceitos de desenvolvimentismo e nacionalismo propostos por Juscelino Kubitschek, porém de forma mais intensiva utilizando moldes autoritários e deixando de lado novamente o desenvolvimento social para diminuir as diferenças. Esses governos têm um foco na infraestrutura e na industrialização, porém há um aumento de empréstimos estrangeiros gerando um processo de crise econômica no país que seria exposto alguns anos após o fim da ditadura.

Bibliografia:

FONSECA, Pedro C. D Desenvolvimentismo: A Construção do Conceito. In: Texto para discussão / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.- Brasília : Rio de Janeiro : Ipea, 2015. Disponível em:

https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=25801

http://www.centrocelsofurtado.org.br/interna.php?ID_S=72

http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-tematico/desenvolvimentismo

Arquivado em: Economia