Disprósio

O disprósio é um metal de transição interna pertencente a família dos lantanídeos, é branco prateado maleável extremamente mole podendo ser facilmente cortado com uma faca pelo simples ato de pressioná-la sobre o metal. O disprósio foi descoberto no ano de 1886 pelo cientista francês Boisbaldran, porém só foi isolado em forma pura em 1950 pela Speeding & Associados, com o desenvolvimento de técnicas metalográficas através da redução e troca iônica. O nome disprósio é originado da palavra grega “dysprositos” que significa difícil de chegar.

Propriedades Físico-Químicas

  • Símbolo Químico: Dy
  • Número atômico: 66
  • Peso Atômico: 162,50 g∙mol-1
  • Ponto de Fusão: 1410 ° C
  • Ponto de ebulição: 2567 ° C
  • Densidade: 8,53 g∙cm-3
  • Estado Físico a 25ºC: Sólido
  • Nox: Dy+3
  • Configuração Eletrônica: 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d104p6 5s2 4d10 5p6 6s2 4f10

Quimicamente

 

O disprósio é um metal pouco reativo apresenta estabilidade quando em contato com o oxigênio do ar em temperatura ambiente. Porém é extremamente reativo quando aquecido, reagindo vigorosamente com o ar. É atacado lentamente por ácidos diluídos e/ou concentrados formando sais liberando hidrogênio e energia até a completa dissolução do metal. O disprósio é um metal que sofre acentuada influência de impurezas, que acabam por afetar suas características físicas e químicas. O disprósio forma diversos compostos tais como: óxido, hidróxido, nitrato, hidreto, carbonato, acetato, haletos, oxalato e sulfato. De acordo com alguns exemplos de reações abaixo:

Reação do disprósio com ácido sulfúrico:

2Dy(s) + 3H2SO4(l) Dy2(SO4)3(s) + 3H2(g)

Reação do disprósio com água:

Dy(s) + 3H2O(l) Dy(OH)3 + 3/2H2(g)

Ocorrência, Obtenção e utilização

O disprósio ocorre em minerais como xenotima, fergusonite, gadolinita, policrase, euxenite e blomstrandine, porém como a maioria das terras raras ocorre na maioria das vezes na monazita e bastnasita. O metal é obtido com maior grau de pureza a partir da redução do fluoreto de disprósio com cálcio metálico. Segundo a reação:

As informações e as utilizações do disprósio são limitadas, no entanto alguns de usos mais freqüentes se dão em virtude do metal possuir características, físico-químicas, interessantes para a indústria, sendo estas:

  • Em função do alto ponto de fusão e inércia química, o disprósio é utilizado na metalurgia de aços inoxidáveis especiais para fabricação de revestimentos para reatores nucleares, e na fabricação de equipamentos resistentes a altas temperaturas;
  • Forma liga com o níquel que é utilizado em sistemas de refrigeração para reatores nucleares, além de possuir capacidade de absorção de nêutrons. Com Fe+Nd+B forma uma liga especial com alto poder magnético e uso em cerâmicas especiais;
  • Em combinação com V, Cd e outros terras raras tem sido utilizado na fabricação de equipamentos emissores de infravermelho no estudo usados no estudo de reações químicas;
  • A pesquisa tem demonstrado que o composto formado por Dy+Fe+Si+Ho, forma um excelente centro doador de íons para diversas finalidades. Por enquanto a ciência ainda não demonstrou nenhuma ação biológica do elemento.

Bibliografia:
http://www.metall.com.cn/euoh.htm
Jones, Loretta; Atkins, Peter Princípios de Química - Questionando a Vida Moderna e o Meio Ambiente - 3 ª Ed-Porto Alegre:Bookman, 2006
http://www.lanl.gov

Arquivado em: Elementos Químicos