Ouro

Doutora em Química (UFSC, 2016)
Mestre em Química Analítica (UFPR, 2010)
Licenciada e Bacharelada em Química (UFPR, 2009)

ouro é um elemento químico classificado como metal de transição, identificado pelo símbolo Au e número atômico (Z) 79. Tem uma massa molar de 197 g/mol e eletronegatividade de 2,54 na escala de Pauling.

Esse metal encontra-se normalmente em estado puro em forma de pepitas e depósitos aluviais, ou ainda em pequenas inclusões de rochas metamórficas ou minerais como o quartzo.

Ouro. Foto: AVprophoto / Shutterstock.com

É conhecido desde a Antiguidade tendo relatos sobre sua existência em hieróglifos escritos no Egito por volta do ano 2 600 a.C e também na Bíblia Sagrada. Arqueólogos sugerem tenha sido o primeiro metal utilizado pela humanidade, com as primeiras civilizações no Oriente médio. O mais antigo artefato em ouro foi encontrado na tumba da Rainha Egípcia Zer.

Em temperatura ambiente é encontrado no estado sólido e tem ponto de fusão de 1064ºC (o sexto maior entre todos os elementos). Tem uma dureza de cerca de 2,5 na escala de Mohs (escala vai até 10) que é considerada baixa, por isso é comumente endurecido através da formação de liga com prata e cobre. Quando puro é um metal de cor amarela, brilhante, denso, bastante maleável e dúctil que reage com cloro e bromo, entretanto não reage com os demais elementos. Para se ter uma ideia de sua maleabilidade, com 1g de ouro é possível obter em torno de 3 km de fio. O ouro apresenta uma boa condutividade elétrica, além de resistência a corrosão.

O Au pode ser oxidado, com uma mistura de ácidos nítrico e clorídrico (na proporção 1:3) ou na presença de halogênios, nos estados oxidação +1 e +3, sendo o tricloreto de ouro (AuCl3) e o ácido cloroáurico (HAuCl4) os dois dos compostos mais comuns, sendo esse ultimo empregado em fotografias. Podem também ser encontrados na forma de óxido de ouro (III), Au2O3, halogenetos e complexos com estados de oxidação +1 e +3. Existem 18 radioisótopos de ouro, sendo o mais estável o 197Au, com um tempo de meia vida de 186 dias.

Um dos usos mais tradicionais do ouro é o de fabricação de moedas, entretanto atualmente tem larga aplicação também na confecção de jóias (anéis, relógios, colares) e medalhas olímpicas na forma de ligas, além de confecção de componentes eletrônicos. Pode ser empregado também no recobrimento de materiais biológicos, para análise em microscópio eletrônico de varredura (SEM).Por ser encontrado em concentrações baixíssimas na natureza, o Au tem alto valor comercial. Para se ter idéia do quanto ele é raro, a cada 200.000 toneladas de massa sólida, apenas 1 Kg de ouro e de acordo com as perspectivas de produção e consumo atuais, todo o ouro existente na Terra deve durar até 2042.

Quilates

Você já deve ter ouvido falar o termo quilates associado a brincos, anéis, etc, certo? Mas você sabe o que isso significa? Esse termo está relacionado a pureza de uma liga de ouro ( composta de ouro, prata e cobre), que para ser determinado deve-se dividir a sua classificação em quilates por 24 (que se refere ao ouro puro) e multiplicar por 100. Então se você tiver um brinco que pesa 10g e ele foi vendido para você como 12 quilates, isso significa que 50% da sua massa é Ouro.

Referências:

Atkins, P. W.; Jones, Loretta . Princípios de química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. Volume único. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

Kotz, J. C. Química Geral e Reações Químicas. Volume 1, 9ª edição, Cengage Learning, 2015.

Tito e Canto. Química na Abordagem do Cotidiano. Volume único, parte A. Química Geral. Editora Saraiva 2005.

Arquivado em: Elementos Químicos