A lei de Coulomb

O cientista francês Charles Augustin de Coulomb (1736-1806) deu importante contribuição para o estudo da eletricidade. Construiu a balança de torção para medir a intensidade da força elétrica atuante sobre duas cargas elétricas colocadas a uma determinada distância uma da outra, conforme mostra a figura abaixo.

art17_fig01_a_lei_de_coulomb

As forças elétricas podem ser de atração ou de repulsão. No tratamento da lei de Coulomb, será apenas considerada a intensidade da força, seja ela atrativa ou repulsiva.

A Lei de Coulomb foi enunciada como segue:

“A força de atração ou de repulsão entre duas cargas é diretamente proporcional ao produto do módulo das cargas elétricas e é inversamente proporcional ao quadrado da distância entre elas”.

Analiticamente, é expressa a seguir:

Onde

  • F é a força,
  • K é a constante eletrostática,
  • Q1 é a carga 1,
  • Q2 é a carga 2 e
  • d² é o quadrado da distância entre as cargas

A constante K depende da permissividade elétrica do meio. No vácuo K é dado por:

K = K0

O valor da constante K0 é 8,99x109N.m²/C²
A constante K é dada por:

art17_fig03_a_lei_de_coulomb

A constante ε0 vale 8,85x10-12C²/N².m².
Observa-se que esta lei é muito semelhante a lei da gravitação universal, que é dada por:
Fg = G. m1.m2/d²

A diferença é que, ao invés da Constante de permissividade elétrica do meio, usa-se a constante gravitacional G e ao invés das cargas, são utilizadas as massas envolvidas no processo.

Referências bibliográficas:

HALLIDAY, David, RESNIK Robert, KRANE, Denneth S. Física 3, volume 2,
5 Ed. Rio de Janeiro: LTC, 2004. 384 p.

Arquivado em: Eletricidade