H. G. Wells

Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (UNIABEU, 2015)

Herbert George Wells, mais conhecido como H. G. Wells, nasceu em um distrito da grande Londres, a 21 de Setembro de 1866.

Na juventude foi aprendiz de negociante de panos, porém esta experiência só foi bem sucedida no sentido de colher experiências para uma de suas futuras obras.

Em 1883 começou a lecionar na Midhurst Grammar School, até conseguir uma bolsa para estudar biologia com T. H. Huxley, na Escola Normal de Ciências em Londres.

Wells tornou-se conhecido por seus “romances de ficção”, carregados de suas visões políticas e que antecipavam inúmeras situações vividas pela sociedade posteriormente.

Mesmo escrevendo sobre outros tempos, lugares, e até mesmo formas de vida, jamais deixou de se referir à própria realidade. Escreveu sobre luta de classes, questionou a ética da ciência, e anteviu bombardeios.

Em seus romances que não possuíam cunho científico, menos conhecidos pelo grande público, fazia críticas sociais ainda mais consistentes. Os costumes, dilemas e a ruína da baixa burguesia vitoriana, por exemplo, estiveram em várias de suas obras. Chegou a escrever, até mesmo, sobre os direitos das mulheres.

Suas narrativas abordavam, com fascínio e desconfiança, a aplicação de tecnologias, sejam elas do futuro real ou ficcional. Alguns estudiosos atribuem a qualidade científica de suas ficções aos oito anos em que foi professor de ciências e zoologia.

Sua carreira de escritor teve início com artigos científicos, que na realidade não alcançaram tanta repercussão.

Fez parte da Sociedade Fabiana, que tinha como propósito transformar, de forma gradual, a sociedade da Inglaterra, orientada pelo socialismo. Passa, então, a enxergar o nacionalismo como causa principal das catástrofes que acometiam a humanidade. Acaba por deixar a sociedade, e passa a dedicar-se a ideia de um Estado Universal, descrito em uma de suas obras.

Com o avançar da idade, seu pessimismo em relação ao futuro da humanidade foi aumentando, e esse sentimento pode ser claramente identificado em seu último livro, onde mais do que contar uma história, Wells pregava acontecimentos posteriores. Não mais utilizava de sua inicial capacidade inventiva, apenas fazia constatações sobre um futuro não muito distante.

H. G. Wells faleceu no dia 13 de Agosto de 1946, em Londres.

Principais obras:

  • A Máquina do Tempo
  • A Porta no Muro
  • Kipps
  • Ann Veronica

Arquivado em: Biografias, Escritores