Philip K. Dick

O autor do livro “Do Androids Dream of Eletric Sheep?” (1968) que mais tarde inspirou o clássico filme de ficção científica “Blade Runner” (de Ridley Scott, 1982) teve sua vida marcada desde cedo por acontecimentos adversos, como a morte de sua irmã gêmea Jane, e depois a separação de seus pais, Joseph Edgar Dick e Dorothy Grant, em 1932, que influenciariam também sua obra.

Philip Kindred Dick, nascido em 16 de dezembro de 1928 ficou conhecido como um autor de ficção científica sombria onde sempre previa um futuro negro para humanidade. Ao longo de sua carreira Dick escreveu mais de 40 livros e 130 contos, a maior parte sobre ficção científica todos marcados pelo seu jeito meio sombrio e solitário de ser: Dick sofria de agorafobia, medo de locais abertos e tinha ataques de asma. Tentou se livrar da fobia fazendo tratamentos durante a adolescência. Teve êxito durante um período, mas logo após de separar de sua terceira esposa, Ann com quem teve sua primeira filha, seus problemas voltam e ele ainda se envolve com drogas pesadas e entra em depressão. Dick chegou a ser comparado com William Burroughs por causa de seu lado sombrio e melancólico.

Aliás foi durante o período em que esteve com Ann que Dick criou suas obras mais destrutivas como “Confessions of a Crap Artist” (), “We Can Build You” e “Now Wait For Last Year”. Mas a relação com Anne não dá certo e eles acabam se separando em 1964.

Antes disso, em 1962 ele ganhara um prêmio Hugo (o maior prêmio para escritores de ficção científica ao lado do prêmio Nebula) com o livro “The Man in the High Castle”.

Em 1965 muda-se para São Francisco e casa-se com Nancy no ano seguinte. Mais uma vez o casamento não dá certo e quatro anos depois (1970) Nancy deixa Dick que perde a cabeça. Dick entra em uma crise depressiva afundando-se cada vez mais nas drogas até tentar suicídio, porém sem sucesso. Em 1973 ele é internado para reabilitação onde volta a escrever. É quando cria o livro “A Scanner Darkly”.

Neste mesmo ano Philip, então com 45 anos se casa pela quinta e última vez, com Leslie Tessa Busby de apenas 18 anos. Durante o tempo em que esteve com Leslie Philip Dick lança o livro “Valis” (1974).

Mais uma vez o casamento fracassa e em 1976 eles se separam. Dick tenta se suicidar mais uma vez sem sucesso. Ele só conseguiria morrer em 2 de março de 1982, por acidente: Philip Dick morreu de infarto.

Arquivado em: Biografias, Escritores