Monte Rushmore

O Memorial Nacional do Monte Rushmore é uma escultura em granito no Monte Rushmore, próximo a Keystone, Dakota do Sul, nos Estados Unidos. A obra foi esculpida pelo dinamarquês-americano Gutzon Borglum, e seu filho, Lincoln Borglum. O Monte Rushmore apresenta esculturas de 18 metros de altura, das cabeças de quatro presidentes dos Estados Unidos: George Washington, Thomas Jefferson, Theodore Roosevelt e Abraham Lincoln. Toda a área do memorial cobre 1.278 hectares (5,17 km²). A montanha mais alta na região é Harney Peak, com 2.207 metros.

Monte Rushmore. Foto: Richard A McMillin / Shutterstock.com

Monte Rushmore. Foto: Richard A McMillin / Shutterstock.com

O historiador da Dakota do Sul, é creditado como idealizador da ideia de esculpir figuras de pessoas famosas, na região de Black Hills, na Dakota do Sul, com o objetivo de promover e enriquecer o turismo na região. A ideia inicial de Robinson de fazer as esculturas nas torres de granito da formação The Needles, no entanto, Gutzon Borglum rejeitou o lugar, por causa da má qualidade do granito, além da forte oposição dos ambientalistas e grupos nativos americanos. Eles, então, se viraram para o Monte Rushmore, que também tinha a vantagem de estar virado para sudeste, recebendo máxima exposição ao sol. Robinson queria que a escultura apresentasse grandes heróis dos filmes de velho oeste como Lewis e Clark, Red Cloud e Buffalo Bill, mas Borglum decidiu a escultura deveria ter um enfoque mais nacional, acabando por escolher os quatro presidentes, que representariam os primeiros 130 anos de história dos Estados Unidos.

Depois de conseguir um grande financiamento federal, a construção do memorial teve início em 1927, e os rostos dos presidentes foram concluídos entre 1934 e 1939. Após a morte de Gutzon Borglum, em março de 1941, seu filho, Lincoln Borglum assumiu a obra. Embora o conceito inicial, que pretendia esculpir os presidentes da cabeça até a cintura, problemas financeiros forçaram a obra a terminar no final de outubro de 1941. O projeto, também é famoso por ter consumido "apenas" US$ 989.992,32, um feito notável para uma obra de tal magnitude, além de trabalhadores não terem morrido.

Em 15 de Outubro de 1966, o Monte Rushmore foi listado no Registro Nacional de Lugares Históricos. Uma redação de 500 palavras, de Willian Burkett, foi escolhida numa competição universitária, e foi colocada numa tábua de bronze no memorial, em 1973. Em um canyon por trás dos rostos esculpidos, foi instalada uma câmara em 1998, contendo um cofre com 16 painéis de porcelana de esmalte. Os painéis incluem o texto da Declaração de Independência e da Constituição, biografias dos quatro presidentes e a de Borglum, além da história dos EUA. A câmara foi criada com o intuito de ser a entrada de um projeto chamado "Salão dos Registros", mas que acabou nunca sendo iniciado.

Todo o memorial passou por uma reforma em 1998, que durou dez anos, com o objetivo de melhorar o ambiente para os turistas. Foram feitas amplas instalações para os visitantes e calçadas, um centro de visitantes, o Museu Lincoln Borglum, e a Trilha Presidencial. A manutenção do memorial requer que, anualmente, alpinistas escalem o monte para monitorar, e selar, as fissuras causadas pela erosão. Em 8 de julho de 2005, Alfred Kärcher GmbH, um fabricante alemão de mangueiras de lavagem de alta pressão, realizou uma operação de limpeza gratuita, que durou várias semanas, utilizando água pressurizado a mais de 93 °C, essa que seria uma grande jogada de marketing do empresário. O turismo é a segunda maior indústria da Dakota do Sul, e Mount Rushmore é a atração turística principal do estado. O memorial recebe cerca de três milhões de visitantes por ano.

Apesar de ser uma obra tão importante. o Monte Rushmore, até hoje, está no meio de uma grande polêmica com os nativos norte-americanos, já que os Estados Unidos tomaram a área da tribo Lakota Sioux, depois da Guerra de Black Hills, em 1876. O Tratado do Fort Laramie, de 1868, já havia entregue Black Hills para a tribo Lakota perpetuamente. Membros do Movimento Indígena Americano fizeram uma ocupação do monumento em 1971. Entre os participantes estavam jovens ativistas, idosos, crianças e o xamã Lakota John Deer Lame Fire, que que colocou um cajado de oração no topo da montanha. Um memorial chamado Crazy Horse Memorial, está sendo construída em um outro lugar nas Black Hills, para homenagear um líder nativo americano, além de ser uma resposta ao Monte Rushmore. Pretende-se fazer uma escultura maior do que a Monte Rushmore.

O monumento também provoca polêmica por alegações de que ele exprime, subliminarmente, o tema da superioridade racial legitimada pela ideia do Destino Manifesto. Os quatro presidentes escolhidos por Borglum estavam ativos durante o período em que os Estados Unidos anexaram terras dos nativos americanos. Além disso, o próprio Gutzon Borglum era um membro da Ku Klux Klan.

Em maio de 2012, James Anaya, um relator especial das Nações Unidas sobre os direitos dos povos indígenas, realizou a primeira investigação oficial sobre a situação dos nativos americanos que vivem nos Estados Unidos. As recomendações de Anaya incluem a devolução algumas terras para tribos indígenas americanas, incluindo toda a Black Hills.

Fontes:
http://www.nps.gov/moru/index.htm
http://www.enchantedlearning.com/history/us/monuments/mtrushmore/
http://en.wikipedia.org/wiki/Mount_Rushmore

Arquivado em: Estados Unidos