Conhecimento científico e senso comum

Doutorado em andamento em Filosofia (UERJ, 2018)
Mestre em Filosofia (UERJ, 2017)
Graduado em Filosofia (UERJ, 2015)

1. Introdução

Conhecimento científico e senso comum podem ser definidos como duas formas distintas com as quais o ser humano se relaciona com a verdade. Nesse sentido, ambos podem ser considerados como parte da disciplina que em filosofia é conhecida como epistemologia, quer dizer, o estudo de como é possível se obter o conhecimento da verdade. São duas formas de conhecimento bastante distintas, tendo em vista que, enquanto o conhecimento científico apoia-se na experimentação dos fenômenos para a verificação da verdade, o senso comum toma frequentemente como base as crenças e os hábitos de um determinado povo ou de uma determinada sociedade.

2. Conhecimento científico

O conhecimento científico está diretamente associado com o método científico, que diz respeito às formas como o conhecimento verdadeiro pode ser obtido e que é uma das partes centrais da filosofia da ciência. Por ser diretamente preocupado com a verificação da verdade, quer dizer, com a comprovação de que uma hipótese ou crença a respeito de alguma coisa é verdadeira, o conhecimento científico se desenvolve a partir de uma série de perguntas, como as que se seguem: 1) como são formuladas as hipóteses científicas e como é possível alcançar uma verdade científica? 2) Como um conhecimento pode ser aceito como sendo conhecimento científico? 3) Como se dá o desenvolvimento da ciência? Todas essas perguntas dizem respeito a diferentes campos do pensamento científico. A primeira diz respeito à natureza do modo de raciocinar das ciências, a segunda, diz respeito à possibilidade de verificação de uma verdade científica. A terceira, por fim, diz respeito a qual é o melhor método para que a ciência possa alcançar a verdade. Tanto essas perguntas quanto a discussão a respeito delas têm como objetivo principal o conhecimento verdadeiro do mundo, o que inclui tanto a natureza como um todo como o do ser humano em tudo o que lhe diz respeito. Os métodos científicos são propostos para que se alcance tal conhecimento de maneira racional, objetiva, analítica e explicativa, dentre outras.

3. Senso comum

Já o senso comum, por outro lado, diz respeito às crenças naturais e ordinárias produzidas por uma determinada cultura e transmitidas pela tradição referente tais culturas, e que são tomadas como plenamente verdadeiras. É bastante comum encontrar o senso comum sendo referido de maneira pejorativa, dizendo-se que é fundamentado em crendices e que, portanto, possui pouco valor. Isto acontece, em grande medida, devido à forma como o conhecimento científico é valorizado na cultura ocidental em geral e porque a filosofia racionalista frequentemente critica e rejeita o senso comum. Contudo, alguns filósofos da tradição filosófica escocesa, associados ao que ficou conhecido como Escola escocesa do senso comum, afirmam que as crenças existentes no senso comum oferecem suficientes justificativas para que se rejeite o ceticismo ou as doutrinas chamadas revisionistas.

Em sua origem, o termo senso comum remonta a Aristóteles, que utilizou este termo para se referir à capacidade geral de sentir, tanto no sentido de consciência das sensações quanto no de perceber as determinações sensíveis comuns aos diversos sentidos, como a visão, o movimento, etc. Na idade média, o termo foi aplicado com o significado de costume, gosto, modo comum de viver ou falar. Pode-se perceber, portanto, que as formas moderna e contemporânea de se compreender o senso comum ainda guardam algumas características dessa origem.

4. Conclusão

Conhecimento científico e senso comum, apesar de suas perceptíveis diferenças, não precisam necessariamente ser postos em lugares distintos, onde não podem ter nenhuma relação, pois muitas crenças populares podem ser comprovadas cientificamente e, também, servir de estímulo para a busca da comprovação de sua verdade.

Referências:

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. Trad. Alfredo Bosi e Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

BUNNIN, Nicholas; YU, Jiyuan. The Blackwell Dictionary of Western Philosophy. Oxford: Blackwell Publishing, 2004.

NAS ASAS DO DRAGÃO. Conhecimento científico x senso comum. Disponível em: https://www.blogs.unicamp.br/nasasasdodragao/my_keywords/conhecimento-cientifico-x-senso-comum/. Acesso em: 28 de jan. 2020.

Arquivado em: Filosofia