Ideologia

Mestre em Sociologia (UnB, 2014)
Graduado em Ciência Política (UnB, 2010)

O termo ideologia vem da junção das palavras gregas “idea” mais “logos”, e quer dizer, literalmente, “doutrina das ideias”. Podemos considerar dois diferentes significados principais de ideologia, sendo um positivo e o outro negativo.

O significado positivo de ideologia

O primeiro significado de ideologia é um conjunto de ideias que pretende explicar a realidade e as transformações sociais. Neste sentido, é sinônimo de doutrina ou ideário em geral e tem a função de orientar a ação social de indivíduos e de grupos. Aqui, a ideologia tem um caráter descritivo (ela explica como as coisas são) e também normativo (como deveriam ser). Seu uso levou a uma sensação positiva de ideologia como qualquer visão de mundo ou corpo de pensamento filosófico. Por este ponto de vista, a ideologia abrange toda a esfera da cultura, incluindo a ciência, e pode ser vista como um intermediário necessário entre os indivíduos e o mundo.

O significado negativo de ideologia

Uma segunda concepção vem do pensamento marxista. Na obra de Karl Marx, a ideologia aparece como algo necessariamente negativo e pejorativo: trata-se da distorção do pensamento que nasce das contradições sociais e que serve justamente para ocultar ou disfarçar tais contradições.

Em uma concepção filosófica, a palavra é utilizada no título do livro “A Ideologia Alemã” de Marx e Engels. Nesta obra, os autores defendem o materialismo e criticam os filósofos alemães por separarem a produção de ideias da produção das condições sociais. Assim, os componentes ideológicos da superestrutura seriam formados por julgamentos necessariamente enganadores através da distorção da compreensão da realidade social.

Neste sentido, a ideologia funciona politicamente como um elemento específico da superestrutura da sociedade. Lembremos que, no pensamento marxista, a superestrutura deriva do conflito de interesses das diferentes classes que fazem parte da base econômica de determinada sociedade. A superestrutura compreende os modos de pensar, as visões de mundo e demais componentes ideológicos de uma classe e tem como função manter as relações econômicas que constituem a infraestrutura, reforçando assim os interesses coletivos da classe dominante, através da força persuasiva dos seus componentes ideológicos.

Para Marx, ideologia é um instrumento de dominação que age através do convencimento (e não pela força física), alienando a consciência dos trabalhadores da sua condição de explorado. De acordo com Marx, os mecanismos ideológicos transformam as ideias particulares da classe dominante em ideias universais para a sociedade como um todo, de modo que a classe que domina no plano econômico, social e político também domina no plano das ideias. Em outras palavras, a ideologia é o meio usado pela classe dominante para exercer sua dominação, fazendo com que esta não seja percebida como tal pelos dominados. Logo, quanto maior for sua capacidade de ocultar a luta de classes, mais eficaz é a ideologia. Deste ponto de vista, a ideologia funciona como uma falsa consciência, inibindo o desenvolvimento de uma consciência de classe de fato. Esta visão crítica do conceito de ideologia trazida por Marx condiz com o objetivo principal da sua obra, que, através do seu materialismo histórico, busca desmascarar a ideologia dominante, mostrando que ela é na verdade resultado da luta de classes.

Referências bibliográficas:

BOTTOMORE, Tom (editor). Dicionário do pensamento marxista. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

CHAUÍ, Marilena. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 2008. Coleção primeiros passos.

MARX, Karl e ENGELS, Friederich. Ideologia Alemã. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

Arquivado em: Filosofia, Sociologia