Folk Music

Em 1964 o cantor e compositor Bob Dylan subiu aos palcos do Festival de Folk de Newport, sendo recepcionado por todos os discípulos deste movimento musical, tornando-se o líder e a voz de uma juventude dotada de um alto grau de politização. Um ano depois, estes mesmos adoradores de Dylan o acusariam de traição, pois no mesmo local, neste exato evento, ele assumiria uma nova vertente ao executar em uma guitarra elétrica o que mais se assemelhava a uma batida de rock.

Dylan foi considerado um marco na onda folk, pois seus sucessores, até mesmo a famosa Joan Baez, poucas vezes subiram aos palcos. Mas, afinal, o folk não nasceu das mãos deste popular e controvertido artista; apenas um de seus ramos, o de protesto, atingiu o ápice com ascensão de Bob nas paradas de sucesso.

O que é, então, a folk music ou música folclórica? Esta expressão surgiu no século XIX, provinda do termo ‘folk lore’, música gerada pelo saber popular. Este estilo musical era claramente assumido por uma civilização pré-industrial, à margem da produção cultural em marcha nas grandes cidades.

No século XX a folk music passou a ser compreendida como uma ramificação bem particular da música popular, por sua vez originária da canção ancestral cultivada nos campos. Na sua acepção inicial o folk era mais bem-sucedido em regiões nas quais as comunidades campestres não tinham sido ainda influenciadas pelos meios de comunicação e pela cultura de massa. Assim este valor cultural era compartilhado por todos e passado de geração em geração através da tradição oral.

Várias das músicas produzidas nesta época traduzem concepções religiosas ou políticas de um grupo social, sua evolução histórica. Como estas produções musicais são disseminadas oralmente ao longo do tempo, elas passam naturalmente por algumas mudanças de conteúdo e também melódicas, conforme a cultura e os valores de cada era.

A mais ancestral modalidade de folk music é a ‘canção de dança’, exclusivamente composta para que uma coreografia seja executada. Várias delas levam em seu nome a marca de origem, tais como a polca polonesa, o fado, que todos sabem provir de Portugal, e a tarantela, típica dos italianos.

As músicas lendárias têm sua proveniência parcialmente conhecida, muitas vezes originando-se de produções literárias, geralmente de natureza poética. Elas transmitem o ponto de vista de quem as canta. Danças e jogos lúdicos também pertencem a esta categoria, quando não estão atrelados à cultura escrita. No Brasil esta modalidade se resume às cantigas de roda, herdeiras da tradição européia.

É bem ampla, portanto, a significação que se pode imprimir à folk music. Ela é resgatada, nos anos 60, como um instrumento a mais de uma geração rebelde, detentora de uma consciência política alinhada à esquerda, carente de um meio de expressão que a represente social e culturalmente. E atinge o apogeu com o músico e poeta Bob Dylan, que inicialmente se transforma em seu ícone, depois supostamente o apunhala, ao partir para uma segunda etapa em sua carreira. Hoje o folk ainda conta com vários adeptos, espalhados pelo Planeta. No Brasil, recentemente, emergiram novos talentos neste campo, entre eles a cantora e compositora Mallu Magalhães e o grupo Vanguart.

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Folk_music

Revista Cult- Ano 12 - N° 138 - Agosto/2009 – Editora Bregantini.

Arquivado em: Folclore, Música