Low Key

As técnicas de Low Key e High Key são exatamente opostas, mas ambas trabalham com a manipulação da iluminação na fotografia. Enquanto a técnica de High Key trabalha com muita iluminação, pouca sombra e pouco contraste, a técnica de Low Key trabalha com pouca iluminação, muita sombra e muito contraste. Apesar de serem opostas, possuem muitos pontos em comum.

Low key. Foto: Gürkan Sengün (Own work) [CC-BY-SA-3.0], via Wikimedia Commons

Low key. Foto: Gürkan Sengün (Own work) [CC-BY-SA-3.0], via Wikimedia Commons

Enquanto a técnica de High Key valoriza a luz, a Low Key beneficia as sombras bem marcadas, as áreas escuras e os contornos, e a luz utilizada é sempre bastante dura, para favorecer os aspectos acima. O mínimo que se exige para fazer uso da técnica é o básico de conhecimento a respeito de iluminação.

Quanto à intenção ou ao objetivo da imagem/foto, enquanto que o High Key trabalha produzindo imagens alegres, com ideia de esperança e tranquilidade, o Low Key trabalha com o sentimento de tristeza, seriedade, mistério.

Para criar tais efeitos é necessário o mínimo de produção, a preparação da luz adequada, possivelmente um estúdio, ou em caso contrário pode ser feita em um ambiente natural, porém que favoreça o efeito desejado.

No caso das fotos em Low Key, pode-se aproveitar a ausência de luz, as sombras, o que é bem simples de se conseguir. O ambiente ideal para este tipo de foto é um local totalmente escuro, desta forma o próprio fotógrafo pode direcionar quanta luz quiser, para o local desejado. Uma dica é usar parede e piso escuros, pois estas superfícies não vão refletir qualquer luz que possa incidir sobre o assunto da fotografia.

Outra dica é usar somente uma fonte de luz, ou no máximo duas, e ir testando até chegar ao resultado pretendido. A segunda luz pode ser bem mais fraca, atrás do assunto, na diagonal, ou vindo de baixo, assim as sombras e silhuetas provocadas serão bem mais marcadas. Para um melhor efeito os focos de iluminação devem ser pontuais e direcionados.

Em Low Key as fotografias são formadas principalmente por tons escuros e sombras, tendo poucos detalhes iluminados apenas para sugerir o assunto.

Uma das características do Low Key é o histograma da foto, que se configura com um gráfico bem peculiar, ou seja, nele notamos que a maioria dos pixels ficam do lado esquerdo, mostrando que se trata de sombras, e apenas poucos pixels ficam do lado direito, designando os pequenos detalhes que estão iluminados.

É importante não confundir uma foto subexposta ou clipada com uma foto em Low Key. O primeiro caso é o daquelas fotos que tiveram uma exposição configurada de maneira inadequada, e que portanto se tratam de um erro de exposição. Já o segundo caso é o uso da técnica de Low Key, propositalmente, com o intuito de se obter um resultado específico.

Fontes:
http://www.dicasdefotografia.com.br/o-que-e-fotografia-lowkey
http://en.wikipedia.org/wiki/Low-key_lighting
http://www.lightroom.com.br/index.php/2012/06/low-key-lighting/
Foto: http://jhennecarlson.blogspot.com.br/2012/09/lowkey-e-uma-tecnica-cujo-fundamento.html
Foto: Gürkan Sengün (Own work) [CC-BY-SA-3.0], via Wikimedia Commons

Arquivado em: Fotografia