Espaço rural e urbano

Graduanda em Geografia (IFSP)
Graduada em Biologia (UNICSUL, 2018)

Ouça este artigo:

O que diferencia o espaço rural ou campo e o urbano/cidade é a forma de atividade ocupacional da população. No campo, definida pelas atividades agrícolas e pecuárias, ou seja, a coleta e cultivo de plantas e animais, já na cidade pela atividade liberal. Assim o campo produz alimentos e viveres para a cidade, enquanto a cidade produz o trabalho intelectual e industrial, concentrando a tecnologia nesses usos. Porém, com o crescimento das cidades, e da economia dos países bem como a integração e interação de regiões mais distantes pelo meio técnico-científico, não é mais possível gerar uma dicotomia baseada na ocupação e produção desses espaços, já que houve no campo o aumento das atividades econômicas múltiplas e uso da tecnologia.

A partir da década de 1970 no Brasil houve a mecanização do campo, e quanto maior for essa economia diversificada, menos agrícola se torna o campo.

Assim, quanto mais tecnificado um determinado espaço, mais produção humana é encontrada nele, e mais a uma cidade ele se assemelha, nesse sentido, se torna cada vez mais difícil a dicotomia entre campo/cidade já que com o aumento das cidades, há de aumentar a produção do campo para a sustentabilidade da cidade, aumento gerado pelo uso da técnica nas produções rurais. Nesse mesmo sentido, podemos caracterizar a diferença do espaço rural do urbano pela densidade demográfica, atualmente as comunidades rurais são tanto numericamente menores como também ocupam menor espaço devido as áreas de produção. A mecanização do campo e o crescimento econômico do sudeste geraram o êxodo rural a partir da década de 1970, assim grandes números populacionais migraram do campo para as grandes cidades, o que gerou outro processo de diferenciação entre esses espaços, a urbanização. A urbanização, ou a transformação do espaço natural em social é outro ponto que difere o Espaço rural do urbano propriamente, com o crescimento populacional, mais áreas naturais foram transformadas em espaços do homem, transformando a paisagem e criando as regiões metropolitanas, o que difere do campo, que tende a possuir uma paisagem mais natural, e quem vive nelas tem uma proximidade maior e uma relação direta com a natureza.

Se compararmos a cultura do campo em relação a cidade, o campo tem uma cultura mais homogênea por conta das tradições, linguagem característica do lugar, religião, fatores agregadores da sociedade, tornando as comunidades e o espaço rural menos fragmentados do que o espaço urbano, que concentra diferentes pessoas e culturas de todo o mundo, principalmente após a globalização, e segue as incumbências da economia mundial, fragmentando o espaço urbano segundo culturas, políticas e decisões econômicas, etc. Por conter a densidade demográfica e maior capital circulando na cidade, também no espaço urbano é onde se tem maior densidade de objetos técnicos, como estradas, iluminação, ruas asfaltadas, e meios de transporte que servem de conforto para o homem, mas também como estruturas da cadeia produtiva.

Podemos notar uma distinção entre o Espaço rural e urbano, mas os dois se relacionam e se complementam seja pela circulação do capital gerado pelos comércios e indústrias, pelas redes de comunicação que ligam um ao outro ou pelas relações da população, haja visto os boias frias, residentes de cidades que trabalham no campo. Há uma interdependência entre esses espaços, a maneira como se relacionam é essencial para entender que apesar de haver diferenças entre esses dois espaços eles então intrinsicamente interligados e compõem o entendimento da totalidade de espaço geográfico, são espaços diferentes que justamente por suas diferenças se complementam.

Bibliografia:

http://www.lagea.ig.ufu.br/xx1enga/anais_enga_2012/eixos/1032_1.pdf

https://www.unisc.br/site/sidr/2004/urbano/01.pdf

https://www.labeurb.unicamp.br/rua/paginasartigo/viewpagina?numeroPagina=1&artigo_id=81

Arquivado em: Geografia