Fraturamento hidráulico

Especialista (MBA) em Gestão da Qualidade Total (UFF, 2013)
Graduada em Química, Tecnóloga (Unigranrio, 2011)
Graduada em Ciências Biológicas (Unigranrio, 2006)

No subsolo o petróleo se encontra em rochas com uma determinada porosidade. Alguns fatores, como por exemplo, altas viscosidades, dificultam a sua extração. Diante desse contexto há necessidade da utilização de técnicas que facilitem a sua extração. Essas técnicas podem ser classificadas em fraturamento hidráulico e acidificação.

A acidificação é considerada por muitos estudiosos como uma técnica de restauração. Sua atuação ocorre ao redor do poço. Possui o objetivo de dissolver os minerais e recuperar a permeabilidade, sendo utilizados materiais como o ácido clorídrico e o fluorídrico.

O faturamento hidráulico (fracking), também chamado de hidrofraturamento, é um dos métodos que permitem o melhoramento da produtividade de um poço de exploração do petróleo. Sua técnica foi utilizada pela primeira vez em 1947, no campo de Hugoton, no estado do Kansas, EUA. O teste não obteve muito sucesso, pois não haviam utilizado junto ao fluido um agente de sustentação. Todavia, a segunda tentativa da utilização da técnica foi um sucesso, tornando-se uma técnica madura após o ano 1955.

O fracking permite o aumento da fluidez do óleo e da sua permeabilidade, aumentando significativamente o seu rendimento de produção. Seu método consiste em introduzir um fluido pressurizado no entorno dos poços de petróleo com a finalidade de promover a ruptura das rochas que se encontram ao seu redor, e com isso, permitir que o óleo bruto penetre nos poços, aumentando a sua produtividade. Esse processo apresenta as seguintes considerações:

  • É utilizado em poços novos ou maduros;
  • São adicionados ao fluido substâncias químicas, chamadas de agentes de sustentação, que promovem a permeabilidade do óleo, permitindo o mesmo fluir para dentro do poço;
  • A utilização de altas pressões viabiliza a ruptura das rochas e sua expansão, alterando o padrão de fluxo entre o poço e o reservatório.

Ilustração mostra o processo de fraturamento hidráulico. Fonte: US Environmental Protection Agency.

Além do uso em poços de petróleo a técnica fracking está sendo muito utilizada nas explorações do shale gas ou gás de xisto. Nos Estados Unidos e no Canadá, é a principal técnica empregada.

No Brasil, o faturamento hidráulico pode promover o país para a décima posição dos maiores produtores de gás de xisto do mundo. Entretanto, alguns estados estão limitando a técnica. O projeto de Lei 873/2015, sancionado pelo governador do Paraná, dispõe da necessidade de dez anos para o licenciamento de exploração do gás de xisto no estado. Segundo o governo estadual, devido aos danos ambientais causados por sua exploração pelo método fracking.

Em alguns países da Europa o faturamento hidráulico é proibido, pois ainda não se conhecem totalmente os impactos ocasionados pela sua utilização no subsolo. Um dos motivos está relacionado aos vazamentos sofridos pelos poços onde foram utilizados essa técnica, contaminando o lençol freático. Em 2011, no noroeste da Inglaterra geólogos relacionaram o uso da técnica com os tremores na região. No entanto, ainda utilizam a técnica.

O fracking é um método promissor no aumento da produtividade das jazidas de petróleo e na exploração do gás de xisto. Contudo, a preocupação com o meio ambiente é uma condição importante na atualidade. A escolha do método de exploração deve englobar além da viabilidade técnica e econômica, a sustentabilidade do meio ambiente.

Fontes:

http://www.petroleo.ufc.br/index.php?option=com_content&task=view&id=390&Itemid=56

http://www.ibram.org.br/sites/1300/1382/00005695.pdf

http://www2.dbd.puc-rio.br/pergamum/tesesabertas/0812201_2011_cap_1.pdf

https://www.ecycle.com.br/component/content/article/35-atitude/1875-as-contradicoes-do-fracking-ou-fraturamento-hidraulico.html

https://www.deputadoschiavinato.com.br/noticias/lei-que-suspende-fracking-por-uma-decada-no-parana-e-sancionada-pelo-governador/

http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/blog-do-planeta/noticia/2015/09/voce-ainda-nao-sabe-mas-e-contra-o-fracking.html

http://www.ipt.br/noticia/616.htm

Arquivado em: Geologia