Caminho do Peabiru

É denominado "Caminho do Peabiru" uma antiga trilha de cerca de três mil quilômetros existente desde tempos longínquos, anterior à colonização europeia, de utilização dos povos nativos americanos que viviam no continente. Em língua tupi, "pea" significa caminho e "abiru", gramado amassado, e servia de ligação entre a cidade de Cusco, no Peru, e a região da antiga Capitania de São Vicente, onde hoje se localiza a cidade de São Vicente, no estado de São Paulo, Brasil.

Exatamente pela sua extensão e pelas regiões que cortava, este antigo caminho indígena foi de imensa utilidade para colonizadores espanhóis e portugueses em suas empreitadas em busca de riquezas no interior do território sul-americano.

Originalmente, acredita-se que o caminho original utilizado pelos povos indígenas teria cerca de oito palmos de largura, ou cerca de 1,40 metro por 0,40 de profundidade. Procurando manter a via, sempre ameaçada com constantes erosões, os usuários do Peabiru, os índios guaranis, faziam questão de, ao abrir o caminho, semear o trecho com três tipos diferentes de gramináceas para que o trecho se mantivesse sempre em condições de uso, evitando o crescimento de árvores e ervas invasoras, contribuindo para que a picada não desaparecesse com o tempo.

O tronco principal deste caminho cruzava o estado do Paraná de leste a oeste, atingindo o chaco paraguaio, seguindo pela Bolívia, em direção à Cordilheira dos Andes, chegando ao sul do Peru, margeando o Oceano Pacífico.

Além do trecho principal, que ia do Peru até o interior de São Paulo, o caminho do Peabiru constituía-se ainda de vários ramais, sendo que um dos que também passavam pelo Brasil e digno de menção era o ramal que partia de Santa Catarina e passava pela área de Campo Mourão, noroeste do Paraná. Este ramal, referido como o de Campo Mourão, tinha início na cidade de Itu, interior de São Paulo, seguindo paralelo ao Rio Tietê até Botucatu, ao oeste; dali, seguia até o rio Paranapanema, atingindo o rio Ivaí, prosseguindo até o rio Mourão e atingindo enfim o município paranaense propriamente.

A importância do Peabiru está na facilitação da migração dos povos indígenas pelos diversos territórios do continente, além de possibilitar a troca de mercadorias. Já na época das explorações europeias, possibilitou o transporte das riquezas captadas pelos espanhóis no Peru, e a comunicação entre os diversos estabelecimentos espanhóis ao longo do caminho.

Destacam-se, entre os exploradores do caminho, as investigações do português Aleixo Garcia, que iniciou os primeiros contatos com os povos incas, além de seu pioneirismo na exploração do sul do Brasil. Mas o nome mais lembrado em relação a tal caminho é o do espanhol Álvar Nuñez Cabeza de Vaca, responsável pela descoberta das Cataratas do Iguaçu e a exploração do rio Paraguai.

Bibliografia:
ARAÚJO, Felipe . Caminho do Peabiru . Disponível em: http://www.historiabrasileira.com/brasil-pre-colonial/caminho-do-peabiru/ .Acesso em: 18 jul. 2011.

http://www.parana-online.com.br/canal/viagem-e-turismo/news/324103/?noticia=PEABIRU+UM+CAMINHO+DE+HISTORIA

Arquivado em: História do Brasil