Conferência de Genebra de 1954

A Conferência de Genebra de 1954 foi uma conferência realizada entre 26 de abril e 20 de julho daquele ano, e que teve lugar na cidade de Genebra, na Suíça. Seu objetivo era discutir as questões políticas pendentes na península coreana, no Vietnã.

conferencia de genebra 1954Na prática, a conferência não adotou qualquer posição relevante à questão coreana, que tinha dado origem a um recente conflito, o primeiro entre forças capitalistas e comunistas, e dividiu a Coreia em duas áreas, norte e sul. De fato, todo o foco das discussões ficou concentrado nos problemas da Indochina, que provariam assumir uma dimensão maior nas próximas décadas.

Em meados de 1954, os franceses abrem mão da luta no Vietnã, sua colônia mais importante no sudeste asiático, e os Estados Unidos não conseguiam mais persuadi-los a continuar. Os norte-americanos financiavam os franceses e queriam conter uma potencial expansão da doutrina comunista a todo custo.

Esta conferência deveria produzir uma série de acordos para resolver o problema. A 8 de maio de 1954, representantes da República Democrática do Vietnã (Vietminh comunista), França, China, União Soviética, Laos, Camboja, Estado do Vietnã (reconhecido pelos EUA) e Estados Unidos reuniram-se em Genebra para elaborar um acordo. Ficou resolvido que o Vietnã se tornaria uma nação independente, com eleições presidenciais marcadas para julho de 1956. Durante este intervalo de dois anos, o país seria dividido em norte e sul: o Vietminh controlaria a parte norte e o Estado do Vietnã iria controlar o sul.

Devido ao momento conturbado na política internacional, não se pode considerar que destas conversações tenha saído um acordo em termos concretos. Os Estados Unidos haviam adotado uma agenda dentro de sua política externa de contenção do comunismo, e estavam determinados a não deixar qualquer parte da Indochina adotar um regime socialista, algo que colocaria a teoria do dominó em execução (a ideia de que o comunismo arrancaria de modo irresistível caso esta região adotasse governos de esquerda). O resultado foi que os Estados Unidos, país-chave dentro das conversações, tomou uma atitude bastante defensiva, na qual os diplomatas americanos se recusavam a todo custo serem signatários de um acordo com autoridades comunistas.

Com isso, EUA e o Estado do Vietnã nunca assinaram os acordos feitos nesta conferência. Eles simplesmente reconheceram que um acordo havia sido feito entre outras nações. Os EUA duvidavam que sem a supervisão das Nações Unidas, eleição alguma no Vietnã seria limpa.

Como resultado concreto, a Conferência de Genebra oficializou a saída francesa do Vietnã, mas fracassaram em evitar uma escalada da discórdia entre comunistas e capitalistas, naquele país asiático, contribuindo para um maior envolvimento norte-americano na questão.

Bibliografia:
JONES, Steve. The Geneva Accords, 1954 (em inglês). Disponível em: <http://usforeignpolicy.about.com/od/alliesenemies/a/The-Geneva-Accords-1954.htm >

Arquivado em: História da Europa