Crise do Golfo

No ano de 1990, Saddam Hussein, então ditador do Iraque, ataca o Kuwait com o objetivo de dominar suas reservas de petróleo. Pouco antes deste ataque, Saddam tinha entrado em um desgastante confronto com o Irã. Após conquistar o Kuwait, o ditador transformou o país na décima nona província do Iraque. Este episódio é nomeado pelos historiadores como a 6ª Crise do Petróleo ocorrida após as grandes guerras mundiais. O ataque de Saddam ao Kuwait foi arquitetado de forma estratégica, pois o país era um dos maiores fornecedores de petróleo para os Estados Unidos. Desta forma, os EUA entraram em alerta, temendo que o ditador iraquiano pudesse invadir mais nações produtoras de petróleo naquela região, como a Arábia Saudita.

Utilizando sua influência na esfera geopolítica, os EUA conseguiram uma autorização da ONU para iniciarem uma ação militar com o objetivo de fazer Saddam desocupar o Kuwait. No ano de 1991, com apoio da França, Inglaterra, Itália e algumas nações árabes, os Estados Unidos invadem e expulsam os iraquianos do Kuwait. Porém, enquanto preparavam-se para fugir das tropas norteamericanas, os iraquianos colocaram fogo em praticamente todos os poços petrolíferos, causando uma das catástrofes de maior prejuízo para o meio ambiente. Neste episódio, boa parte da fauna que habitava o Golfo Pérsico foi destruída. A partir deste momento, a ONU e as principais nações do globo mobilizaram-se e foi criada a Nova Ordem Mundial, na qual ficou proibido qualquer tipo de guerra de anexação entre países.

A operação que derrotou os iraquianos foi batizada como Tempestade no Deserto. Depois dela, Saddam Hussein e o Iraque começam a passar por diversas sanções. Assim, sofreram bloqueio internacional para a comercialização do petróleo de origem iraquiana, entre outros produtos do país. Ao mesmo tempo, o exército do Iraque foi limitado com zonas de exclusão localizadas ao Norte (Paralelo 36) e ao Sul (Paralelo 32). Desta forma, os militares eram impedidos de transitar e, em caso de descumprirem esta regra, poderiam ser retaliados severamente. Para garantir que as imposições não fossem desrespeitadas, uma esquadra dos EUA instalou-se no Golfo Pérsico, em um local estratégico para o lançamento de mísseis no Iraque.

Em 2003, os EUA invadiram novamente o Iraque em uma operação chamada Iraque Livre. Alguns estudiosos colocam esta ação como uma continuação do conflito de 91. Com isso, os EUA reforçaram suas bases militares no Iraque. Esta invasão ocorreu após os ataques ao World Trade Center em 2001.

Fontes:
http://educaterra.terra.com.br/voltaire/mundo/petroleo4.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Opera%C3%A7%C3%A3o_Tempestade_no_Deserto#Opera.C3.A7.C3.A3o_Tempestade_no_Deserto
http://www.iraquenewst55.jex.com.br/3+guerra+terrorismo/o+maior+bombardeio+da+historia

Arquivado em: Idade Contemporânea