Descoberta do segredo da Enigma

A descoberta do segredo da Enigma permitiu aos aliados uma grande vantagem durante a Segunda Guerra Mundial, pois as comunicações alemãs em código morse eram criptografadas pela tal máquina alemã desenvolvida no final da década de 10.

As máquinas Enigma constituíam um conjunto de aparelhos de cifragem portáteis cujo princípio de funcionamento se dava através de rotores, que eram responsáveis pelas combinações cifradas das instruções trocadas entre membros da inteligência alemã. Na verdade, Enigma é uma das várias marcas de várias dessas máquinas, que acabou por se popularizar e batizar de modo genérico todos os modelos de máquinas de criptografia.

Pouco antes da guerra, no início da década de 30, os poloneses organizados no chamado Biuro Szyfrów (polonês para Birô de Decodificação) conseguiram decifrar pela primeira vez o segredo da Enigma, utilizando fórmulas matemáticas, chegando a criar um rival da máquina alemã, o Ciclômetro, que decifrava suas mensagens. Com o início da guerra, pouco antes da invasão do país, os poloneses se aliaram a britânicos e franceses em constantes reuniões para trocar informações sobre os novos aperfeiçoamentos aplicados pelos alemães à Enigma, que inutilizavam os esforços anteriores de decodificação.

Novamente, Marian Rejewski, Jerzy Rozycki e Henryk Zygalski, responsáveis em grande parte por quebrarem o código original da Enigma, desenvolveram novos mecanismos de decodificação, como por exemplo o mecanismo "Bomba", o que permitiu à Polônia, pouco antes do início da Segunda Guerra Mundial decifrar cerca de 75% das mensagens alemãs.

Em julho de 1939, mesmo com mais aperfeiçoamentos adicionados à Engima pelos alemães, requerendo novo esforço de decodificação, os poloneses já sabiam da iminente invasão do país, e dividiram suas descobertas com técnicos britânicos e franceses. Sob a ameaça de uma guerra generalizada, eles passaram modelos da máquina codificadora aos britânicos e franceses em Varsóvia, em julho de 1939. O fruto de uma década de trabalho forneceu aos técnicos britânicos de Bletchley Park uma base para enfrentar o desafio.

Com a captura de um submarino alemão em 1942, foi encontrado um livro de códigos da máquina Enigma, o que tornou o trabalho dos decodificadores muito mais fácil. Uma outra máquina equivalente às máquinas de decodificação polonesas, porém mais aperfeiçoada, foi construída e denominada "Bombe".

Pesquisas aprofundadas, e a extrema confiança dos alemães de que seu sistema não seria decifrado pelos aliados contribuíram para que em determinado momento Bletchley Park fornecesse coordenadas importantes para praticamente todas as operações aliadas, decifrando milhares de mensagens da máquina alemã. A decodificação da Enigma, portanto, foi imprescindível na derrota das forças nazistas.

Bibliografia:
Solving the Enigma: History of the Cryptanalytic Bombe (em inglês). Disponível em <http://ed-thelen.org/comp-hist/NSA-Enigma.html>. Acesso em: 09 abr. 2012.

DABROWA, Andrzej. Breaking the Enigma code - Polish contribution to victory (em inglês). Disponível em <http://www.avoca.ndirect.co.uk/enigma/index.html>. Acesso em: 09 abr. 2012.

A verdade por trás do código Enigma. Disponível em <http://pessoas.hsw.uol.com.br/decifrando-o-enigma.htm>. Acesso em: 09 abr. 2012.

SALE, Tony. The Breaking of Enigma by the Polish Mathematicians (em inglês). Disponível em <http://www.codesandciphers.org.uk/virtualbp/poles/poles.htm>. Acesso em: 09 abr. 2012.