Desnazificação

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Desnazificação é o termo utilizado para identificar a eliminação da influência cultural nazista após a derrota da Alemanha na Segunda Guerra Mundial.

O regime totalitário mais conhecido da história da humanidade é o nazismo, que teve como grande representante Adolf Hitler. Após a Primeira Guerra Mundial, Hitler começou a se aprofundar no mundo político, espalhando suas ideias e conquistando admiradores. Durante a década de 1920, ele tentou um golpe que o levaria ao comando político na Alemanha que, no entanto, foi mal sucedido. Seu fracasso nessa tentativa o levou a viver longos anos na prisão. Mas foi justamente na prisão que Adolf Hitler escreveu a obra que daria base para todo o regime que implantaria na Alemanha. O livro Minha Luta é um relato de seus anos como prisioneiro, mas também uma cartilha ideológica que serviria para influenciar muitos alemães. Ao ser liberto, Hitler encontrou uma Alemanha quebrada em função de dois grandes fatores. O primeiro deles foi a própria Primeira Guerra Mundial que rendeu a Alemanha grandes punições, deixando o país fragmentado em sua estrutura e economia. O segundo fator que traria graves consequências foi a grande crise do capitalismo ocorrida em 1929. Este intensificou muito o já estado de debilidade que o país vivia. A população passava fome, não tinha emprego e as perspectivas de futuro eram péssimas. Foi nesse cenário que Adolf Hitler conquistou vários seguidores através de seus discursos que encorajavam a nação. Em um momento de grandes dificuldades, seus discursos apresentavam esperança para a população.

A definitiva chegada ao poder em 1933 iniciou uma profunda transformação ideológica na Alemanha. O Partido Nazista estabeleceu toda uma estrutura de dominação do Estado e de controle da sociedade. Criou-se um regime totalitário, no qual todo o poder está no Estado e, especialmente, em um representante, Adolf Hitler. Logo a máquina nazista estabeleceu seus meios de divulgar a cultura nazista, doutrinando todos desde cedo de acordo com seus preceitos. Uma das características mais marcantes desse regime foi a crença em uma raça superior, os arianos. Hitler semeou a ideia de que os alemães representavam a raça mais pura no planeta e, por outro lado, os judeus seriam a grande praga da humanidade. Assim estabeleceu-se uma intensa caça aos judeus que foi absorvida por boa parte da população alemã. Em 1939, a Alemanha invadiria a Polônia iniciando o mais terrível conflito da história da humanidade, a Segunda Guerra Mundial. Outros países governados por regimes totalitários, como Japão e Itália, se alinhariam com Hitler e este promoveria um grande processo de expansão em nome da raça ariana e da eliminação do povo judeu. Até o final da guerra, em 1945, mais de seis milhões de judeus seriam assassinados nos campos de extermínio.

A Alemanha conquistou muitos territórios durante a Segunda Guerra Mundial, mas foi derrotada pelos países Aliados e seu líder, Adolf Hitler, cometeu suicídio em 1945. Imediatamente após o término do conflito, a Alemanha foi dividida em quatro zonas que seriam controladas a partir de janeiro de 1946 pelos países vencedores, Estados Unidos, Reino Unido, França e União Soviética. O território da Áustria também foi dividido da mesma forma, porém a Alemanha esteve sob ocupação até 1948, enquanto a Áustria permaneceu ocupada até 1955. O objetivo dessa divisão e ocupação era eliminar todos os vestígios do regime nazista. Mais de 200 mil nazistas foram aprisionados. Os Acordos de Potsdam reforçaram a proposta de limpeza da sociedade, da cultura, da imprensa, da justiça e da política de toda influência nazista. Ainda em 1945, os principais líderes vivos do nazismo começaram a ser julgados em Nuremberg, onde 24 pessoas foram condenadas e também seis associações julgadas criminosas. Essa divisão do território alemão e austríaco daria base para o novo conflito que duraria mais algumas décadas, a Guerra Fria, colocando em oposição Estados Unidos e União Soviética.

A Desnazificação se encarregou de eliminar um dos regimes mais bárbaros do mundo. No entanto, ainda hoje existem pessoas e grupos que alegam seguir a ideologia nazista, defendendo o preconceito e o extermínio de outros povos. Os neonazistas são uma realidade triste para o mundo, mas que, felizmente, hoje, são minoria e não possuem poderes expressivos.

Fontes:
http://www.dw.de/1948-fim-oficial-da-desnazifica%C3%A7%C3%A3o/a-301967
http://www.cartamaior.com.br/?/Coluna/Desnazificacao-na-Alemanha-passado-presente-e-futuro/20690
http://www.encontro2010.historiaoral.org.br/resources/anais/2/1270045282_ARQUIVO_Artigorecife2.pdf
http://anpuh.org/anais/wp-content/uploads/mp/pdf/ANPUH.S25.0713.pdf

Arquivado em: Idade Contemporânea