Era dos Juízes

É chamada de Era dos Juízes a segunda das três fases da presença do povo hebraico na região da Palestina (Canaã). Ela se inicia com o episódio conhecido como “Êxodo”, no qual Moisés lidera a volta de seu povo do Egito, onde se encontrava submetido à escravidão e termina com a escolha do fazendeiro benjamita Saul para ser o governante de todo o povo de Israel. Esta era é de extrema importância para o povo judeu, pois é quando estes firmam um território, o primeiro Estado de Israel, e quando se nota como seria importante a união das várias tribos, o que acontecerá na etapa seguinte, a Era dos Reis.

O nome "Era dos Juízes" faz referência à organização política do território, onde cada tribo era governada por um juiz, um líder militar que julgava tudo. Ele funcionava como um intermediador entre a esfera divina e a administração política da comunidade.

Ao mesmo tempo, este tipo de organização demonstra que não havia qualquer consciência nacional entre os hebreus. Não existia um governante supremo para as doze tribos, os juízes governavam apenas sua tribo, e com isso, conseguir auxílio das outras tribos era considerado uma proeza. O único sinal remanescente de alguma nacionalidade hebraica neste período é a existência do Santuário de Shiloh.

Os principais acontecimentos desse período podem ser resumidos num ciclo de três fases. O primeiro, é o desvio da religião e dos mandamentos de Deus (Iavé ou ainda Jeová) por uma das tribos. Ocorre que esta acaba sendo conquistada por algum outro povo da região até que surge um juiz que mostra o caminho para o povo, conseguindo libertá-lo do invasor.

Entre as personalidades que mais se destacaram no tempo dos juízes, podemos citar Débora e Sansão. Débora (cujo nome significa "abelha") era uma profetisa que ao notar o perigo de uma invasão vinda da cidade de Hazor solicita a Barak, um habilidoso chefe militar, para que contenha o inimigo. Barak reúne um grande exército, que conta com seis das tribos de Israel, fato notável devido a divisão ideológica que imperava entre os grupos. Mesmo assim, os soldados de Barak estavam amedrontados pela fama do inimigo e este pede para Débora que acompanhe o exército. Sua presença levanta a moral dos soldados e os inimigos são expulsos.

Já Sansão vinha da tribo de Dan. Sua extrema força era lendária entre os filisteus, inimigos de sua tribo. Contudo, estes enviam Dalila para descobrir o segredo da força de Sansão. Num momento de fraqueza, ele revela que sua força vem dos cabelos que nunca haviam sido cortados. Dalila os corta e Sansão acaba sendo preso. No fim, estando Sansão preso e prestes a morrer nas mãos dos filisteus, pede a Deus um momento de força e em seu último ato recupera sua força, derruba os pilares do templo onde está preso, conseguindo aniquilar vários inimigos ao mesmo tempo. Sua tribo acaba sendo expulsa de sua cidade pelos filisteus que avançavam do oeste, e ruma para Laish, ao norte. Tal história ilustra as dificuldades dos hebreus em manter o controle da terra, já que não apenas os filisteus, mas também os jebuseus ameaçavam esta tribo.

Bibliografia:
O Período dos Juízes. Disponível em: < http://www.chazit.com/cybersio/arhj/juizes.html >. Acesso: 01/02/13.