Governo de Vichy

Mestrado em História (UDESC, 2012)
Graduação em História (UDESC, 2009)

O governo de Vichy, estabelecido na cidade de mesmo nome, foi a forma que os alemães usaram para administrar parte da França ocupada durante a Segunda Guerra Mundial, que durou de 1940 a 1944. Este governo se opôs à resistência francesa que tinha seus líderes em Londres, na Inglaterra, e em Argel, na Argélia. Logo após a ocupação o marechal Philippe Pétain torna-se o primeiro ministro do Governo de Vichy e trata com os alemães em 17 de junho um armistício com a intenção de acabar com a guerra. Em 22 de junho de 1940 o armistício é assinado com as seguintes condições: dois quintos do país seriam administrados pelo governo francês; todos os judeus da França seriam entregues aos alemães; O exército francês contaria apenas com cem mil homens; permanência dos presos de guerra no cativeiro; cabia a França arcar com os custos da ocupação alemã; os franceses não poderiam deixar o país.

A Inglaterra imediatamente retira todos os tratados diplomáticos com o Governo de Vichy, cinco dias depois disso, em 10 de julho de 1940 a Terceira República francesa é extinta por votação na Assembleia Nacional Francesa. Em seguida Philippe Pétain acaba com a constituição francesa de 1875, e converge todos os poderes para si ao promulgar três decretos.

O Governo de Vichy, com o Controle de Philippe Pétain teve certa aceitação popular, e trocou o bordão francês: Igualdade, Liberdade e Fraternidade, por: Trabalho, Pátria e Família. Dificultou várias pautas progressistas em seu mandato, tais como o divórcio e o aborto, pois enaltecia os valores da família mononuclear burguesa, ao ponto que pais de família foram condecorados pelo marechal. Pétain torna-se neste momento uma verdadeira personalidade com grande aceitação popular. Muitas pessoas importantes colocam-se ao lado dele, e acreditavam que ele ergueria a França graças a sua “revolução nacional”.

Após a libertação da França pelos aliados, e em de 9 de agosto de 1944, o país volta a ser uma república, anulando a ata de 10 de julho de 1940. Pétain foi acusado de alta traição e crime de indignação nacional, foi condenado à pena de morte, porém Charles de Gaulle, grande líder da resistência concede a ele prisão perpétua. Pétain morre na prisão em 1951.

Podemos dizer que a colaboração durante o Governo Vichy teve cinco aspectos: Administrativa, Política, Militar, Econômica e Ideológica.

A colaboração Ideológica se deu por meio de alguns intelectuais nazistas que acreditavam no nazismo, eram antissemitas e eram anglofóbicos. A colaboração Econômica ocorreu quando os alemães passaram a dominar e explorar o máximo do território francês, controlando todos os produtores. Eram os alemães quem estabeleciam os salários, os preços e as taxas de transporte. A colaboração Política foi a forma que os franceses usaram para conseguir um lugar na Europa Alemã, caso a vitória fosse de Hitler. A cooperação militar aconteceu quando os franceses não colocaram suas tropas em pontos estratégicos para ajudar os aliados. Já a colaboração Administrativa foi posta dentro das estruturas burocráticas, onde as autoridades francesas vão ajudar os alemães, tais como prefeitos e a polícia.

Os Horrores da Segunda Guerra Mundial na França foram devastadores em vários sentidos. Um desses exemplos, é das mulheres que tiveram ligações amorosas com soldados alemães no período, foram perseguidas, muitas delas mortas e outras tiveram seus cabelos raspados como a marca da traição, e após isso foram humilhadas publicamente e excluídas socialmente. A França tinha sido entregue a bandos armados, pois ainda não havia a presença do estado. Os vários “colaboracionistas” do Governo Vichy foram submetidos a tribunais populares e, muitos foram presos, outros tantos mortos por colaborar com os nazistas.

Referências

FERRO, Marc. História da segunda guerra mundial. São Paulo: Ática, 1995.