Levante dos Tupinambás

Licenciatura Plena em História (Faculdade JK-DF, 2012)
Pós-graduação em História Cultural (Centro Universitário Claretiano, 2014)

Os Tupinambás são índios que por volta do século XVI habitaram em praticamente toda a costa brasileira desde o Recôncavo Baiano até ao atual Rio de Janeiro. Foi uma tribo que chamou muito a atenção dos portugueses, no sentido em que praticavam rituais de antropofagia, ou seja, eram canibais. Eles normalmente comiam seus adversários acreditando que estavam se apropriando de suas habilidades, forças ou poder.

No século XVII o Norte do Brasil estava sendo invadido por ingleses e holandeses. Os portugueses assim que venceram os franceses, estavam com medo de perder mais territórios e foi então que decidiram expandir em direção ao estado do Pará e da Amazônia. Construíram um forte com o nome de Presépio em Belém e os franciscanos fundaram uma casa nessa região.

Os Tupinambás que por lá habitavam, a principio não esboçaram agressividade, mas estavam muito desconfiados e sabiam que diversas tribos haviam sido capturadas e escravizadas pelos colonos. Eles tinham afinidades com os franceses, e na primeira semana já começaram os conflitos com os portugueses que ocasionaram a morte de muitos indígenas e o extermínio de várias aldeias.

Devido à postura dos colonos, os índios se uniram para tentar os expulsar de suas terras (atual Belém) e assim ocorreu o Levante dos Tupinambás, ou a Guerra dos Tupinambás. Os portugueses respondiam com muita crueldade uma vez que matavam os índios os colocando em frente a um canhão e os expondo à frente dos que não se submetiam à colonização. Em contrapartida os Tupinambás assaltavam os colonos e tentavam reunir armas, elaborando estratégias de guerras para tentar vencê-los. Nenhum dos lados cedia e as batalhas eram cada vez mais constantes e sangrentas.

Em Janeiro de 1618 os Tupinambás do Pará se uniram com os do Maranhão para defender suas terras e se livrar dos abusos dos colonos. Muitos acabaram mortos, mas no geral não se renderam. O capitão português Castelo Branco não conseguindo conter os índios, perdia cada vez mais a credibilidade mediante a coroa portuguesa e foi deposto.

Aproveitando o incidente com o capitão, no dia 7 de Janeiro de 1619 os Tupinambás atacaram o forte da cidade de Belém e seu líder Cabelo de Velha foi morto cruelmente pelos portugueses. Como forma de demonstrar seu poder, os colonos adentraram e atacaram as aldeias de Iguape e Guamá.

Baltazar Rodrigues foi recrutado para substituir Castelo Branco e continuou exterminando os nativos que não se submetiam e escravizando os sobreviventes. Essas ordens eram camufladas pelos católicos que alegavam que estavam fazendo uma catequização amigável. Mas no geral, a relação entre os Tupinambás e os portugueses foi sangrenta havendo um genocídio entre ambas as partes.

As guerras contra os nativos acarretaram em devastação das aldeias e diminuição da população. Após o falecimento do líder indígena Cabelo de Velha, os sobreviventes não viram outra solução a não ser de se unirem ao exercito português e os ajudarem a defender o território de outros invasores europeus. Os que não lutavam eram prisioneiros de guerra, tornavam-se escravos e serviam como exemplo para outras tribos que não eram submissas.

Estima-se que a população Tupinambá era em torno de 100.00 indígenas ocupando a costa brasileira no século XVI. Atualmente eles sobrevivem em reservas indígenas. A sua principal aldeia fica ao sul do Estado da Bahia e são chamados de Tupinambás de Olivença. Eles também se encontram ao Sul do país no Estado de São Paulo, mas o IBGE ainda não informou o número exato dessa população, entretanto, sabe-se que eles vivem juntos com os Guarani-mbyá que são conhecidos como Tupi- guarani.

Referências:
https://www.soliteratura.com.br/curiosidades/tupinambas/

https://pib.socioambiental.org/pt/Povo:Tupinamb%C3%A1_de_Oliven%C3%A7a

https://pt.wikipedia.org/wiki/Tupinamb%C3%A1s

https://pt.wikipedia.org/wiki/Levante_dos_Tupinamb%C3%A1s

Arquivado em: Brasil Colônia