Medicina na Grécia Antiga

A medicina Ocidental atual tem raízes na Grécia Antiga, apesar de hoje em dia ser estritamente técnica e científica. Ainda não foram encontradas evidências concretas para a existência da medicina antes de 750 a. C., porém desde 1200 a.C. há evidências da existência de médicos.

Quatro séculos depois, há novas evidências das práticas médicas através dos poemas homéricos, que, embora tenham caráter mítico, conservam dados da realidade da época, e revelam a existência de médicos com conhecimento em plantas medicinais e em tratamentos para feridas de guerra. Aparentemente, porém, estes médicos não se dedicavam apenas à Medicina, eram também guerreiros, mágicos, etc.

Segundo a mitologia grega, os conhecimentos médicos, a princípio, eram considerados exclusividade dos deuses imortais, e haviam sidos passados para os mortais por Quíron, o centauro educador de heróis.

Dois dos alunos de Quíron aprenderam  as artes médicas, que foram Asclépio e Aquiles. Homero conta que em Tróia estiveram Aquiles, os dois filhos de Asclépio, Podalírio e Macaon, além de Pátroclo, filho de um amigo de Aquiles chamado Menetes.

A medicina era, porém, uma ciência prática, que era utilizada mais para tratamento de feridas na guerra. Apesar disso, Homero deixa claro na Ilíada que estes médicos tinham também conhecimentos no poder medicinal das ervas, e as utilizavam nas práticas do dia a dia e também na guerra para tratar ferimentos.

As práticas médicas eram confundidas por vezes com poderes mágicos, tanto que são narradas na Odisséia tanto passagens que mostram o uso dos conhecimentos medicinais, quanto passagens em que as pessoas são curadas por meio de encantamentos, "magia", etc.

Conforme as palavras do herói Idomedeu, na Ilíada (11.512-4), com exceção dos adivinhos, os médicos de Homero eram como que semidivinos, além de serem muito valorizados pelos companheiros.

Asclépio tornou-se um dos heróis-médicos mais importantes no Período Arcaico, e seus santuários se tornaram templos populares de cura, onde devotos buscavam seu auxílio para problemas de saúde.

No final do Período Arcaico, porém, os médicos começaram a se tornar profissionais dedicados à medicina somente, e a ciência médica se desvinculou da mitologia, da magia, da superstição, etc.

Começaram depois a surgir estudos, experimentos e teorias, sempre em evolução, principalmente com as descobertas de novas curas para doenças, até chegarmos à medicina atual.

Fontes:
http://greciantiga.org/arquivo.asp?num=0252
http://www.infopedia.pt/lingua-portuguesa/hom%C3%A9ricas
http://pt.wikipedia.org/wiki/Medicina_da_Gr%C3%A9cia_Antiga

Arquivado em: Grécia Antiga