Revolta de 1953 na Alemanha Oriental

Ocorrida na Berlim Oriental entre os dias 16 e 17 de junho do ano de 1953, a revolta na Alemanha Oriental começou logo após a morte de Josef Stalin, no dia 5 de março do mesmo ano, quando Lavrenti Béria deu anistia política para cerca de 1 milhão de prisioneiros soviéticos.

No dia 16 de junho teve início uma manifestação liderada pelos trabalhadores que atuavam na construção da Stalinallee. Aproximadamente 40 operários iniciaram uma marcha em direção à sede do governo com o objetivo de contestar o retorno de normas antigas e fazer uma denúncia a respeito da cadência de 10% nas horas de trabalho não compensadas, que foram estabelecidas na época do governo da RDA (República Democrática Alemã).

A marcha dos trabalhadores ganhou mais adeptos ao longo do percurso, chegando a dois mil manifestantes. Entre eles, membros do partido de extrema-direta também tinha se infiltrado. No começo da noite, através de um comunicado oficial, o governo informou que iria rever suas medidas.

As partes pareciam caminhar para um acordo, porém, após uma faixa clandestina ser extendida, o rumo da manifestação mudou com uma ordem de greve geral para o dia posterior, além de reivindicações de eleições democráticas e livres. No dia 17, várias cidades se revoltaram na Alemanha Oriental.

Cerca de 60 mil pessoas iniciaram ataques às forças policiais e destruíram sedes de órgãos de imprensa do governo. Com o incêndio da Columbushaus e as atitudes drásticas dos manifestantes, Walter Ulbricht acionou as tropas soviéticas para suprimir o levante que, de acordo com os comunistas, era comandado pelos ocidentais.

Com a intervenção das tropas soviéticas, formadas por carros de combate e tanques, 153 pessoas morreram e várias ficaram feridas. Tendo a fuga como única opção, cerca de 3 milhões (o país tinha 19 milhões de habitantes) de cidadãos foram para o oeste.

A violência na Alemanha Oriental cessou no dia 23 de junho,quando foi anunciada a anulação da medida pela PSUA (Partido Socialista Unificado da Alemanha). Para evitar futuros levantes, as forças comunistas formaram milícias com pessoas fiéis ao regime.

O conflito teve diversas consequências na U.R.S.S. Lavrenti Beria acabou afastado de seu cargo de diretor da NKVD (Comissariado do povo para assuntos internos). Depois, foi preso e executado.

Fontes:
http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/12801/hoje+na+historia+1953++revolta+operaria+eclode+em+berlim+oriental.shtml
http://www.lsr-cit.org/historia/45-historia/208-alemanha-oriental-1953
http://pt.wikipedia.org/wiki/NKVD
AZEVEDO, Antonio Carlos do Amaral. Dicionário de nomes, termos e conceitos históricos. 3ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.