Arco Longo Inglês

O arco longo inglês, também chamado de arco inglês, ou arco galês, é um poderoso e grande arco medieval, com, aproximadamente, 1,83m de comprimento, usado pelos britânicos para caçar e também como arma de guerra. O uso do arco longo foi notadamente eficaz durante a Guerra dos Cem anos, contra os franceses, principalmente nas batalhas de Crécy (1346), de Poitiers (1356) e, a mais famosa delas, Agincourt (1415). Após esse período, os arcos se ficaram menos efetivos, com muitíssimas baixas de arqueiros, principalmente nas batalha de Verneuil (1424) e Patay (1429) quando foram arrasados antes mesmo de se colocarem em posição de batalha. O termo "arco longo inglês", ou "galês", é um termo moderno usado para diferenciá-los de outros tipos de arcos, muito embora arcos muito semelhantes, ou até mesmo idênticos, terem sido usados ​​no norte e oeste da Europa. Inclusive, uma enorme quantidade de material para a construção dos arcos foi importada da Espanha no Século XIV.


O primeiro arco longo conhecido da Inglaterra foi encontrado em Ashcott Heath, em Somerset, datado de 2665 a.C. Grande parte dos arcos longos não sobreviveram ao período em que alcançaram sua glória (entre 1250 e 1450), muito provavelmente porque aqueles que não haviam sido destruídos em batalha ou pelo tempo, foram logo substituídos por melhores equipamentos através das gerações. Cerca de 130 arcos sobreviveram ao período renascentista. Outros 137 foram recuperados no navio Mary Rose, navio da marinha de Henrique VIII que afundou em Portsmouth no ano de 1545.

A origem exata do arco longo inglês é ainda hoje contestada. Embora seja difícil precisar a influência do arco e flecha na Conquista Normanda da Inglaterra, é claro que eles tiveram grande importância para a vitória dos Normandos, como na célebre Batalha de Hastings. Assim como os Anglo-saxões também fizeram uso do arco e flecha como uma arma de guerra. De qualquer forma, esse arco se tornou conhecido sendo usado pelos galeses durante as invasões normandas. Impressionados com seu alcance e precisão, os ingleses o adotaram e começaram a recrutar arqueiros galeses para o serviço militar. Esse arco tinha de 1.2m até 1,8m, mas, geralmente, tinham acima de 1,5m.

O arco longo inglês decidiu muitas batalhas medievais em favor dos ingleses, mais notadamente as batalhas de Crécy e Agincourt, na Guerra dos Cem Anos, e de Halidon hill (1333), contra a Escócia. Contra o arco, pesa a derrota na batalha de Patay, que contribuiu significativamente para a França conseguir reconquistar seus territórios perdidos. O arco também foi usada contra os ingleses por seus vizinhos galeses, que costumavam emboscar os soldados ingleses, afim de conseguirem tiros à queima roupa, que pudessem penetrar nas pesas armaduras inglesas. Na famosa batalha em 1402 travada pelo gaulês Owain Glyndŵr contra o inglês Bryn Glas, os arqueiros galeses conseguiram esmagar seus inimigos influenciando decisivamente na vitória galesa.

Apesar dos arcos longos ingleses serem muitos mais rápidos e precisos que as primeiras armas de fogo, que os substituiriam posteriormente, os recrutas que necessitavam de anos de treinamento intensivo para se tornarem realmente importantes numa batalha. Numa época em que as guerras eram sazonais, e que soldados não nobres passavam a maior parte das suas vidas trabalhando em fazendas, todo esse extensivo treinamento acabava se tornado um desafio que com o avançar das armas de fogo foi sendo cada vez mais evitado. Apesar disso, muitos arqueiros ingleses foram recrutados como mercenários por outros países europeus devido às suas habilidades com o arco e flecha.

Os arcos longos permaneceram em uso até por volta do século XVI, quando os avanços das armas de fogo tornaram a pólvora um fator extremamente significativo nos conflitos armados, época em que unidades como arcabuzeiros e granadeiros começaram a surgir. O último registro do uso dos arcos longos data de 1642, no confronto em Bridgnorth, durante a Guerra Civil Inglesa, quando uma milícia improvisada da cidade derrotou pelotões regulares de mosqueteiros.

Arcos longos modernos continuam a ser feitos objetivando esportes e a caça. Mas desde 1642 eles deixaram de serem usados como uma arma de guerra. O arco longo inglês clássico possuía 1,2 a 1,8m de comprimento, mas muitos com mais de 2m já foram encontrados. Geralmente, a flecha disparada desse arco podia alcança entre 165 to 228 metros, enquanto os arcos maiores poderiam ultrapassar os 300 metros.

Fontes:
http://www.archers.org/longbow.htm
http://militaryhistory.about.com/od/smallarms/p/englongbow.htm
http://en.wikipedia.org/wiki/English_longbow

Arquivado em: Idade Média