Síndrome de Mikulicz

A síndrome de Mikulicz, atualmente conhecida como lesão linfoepitelial benigna, trata-se de uma condição inflamatória, comumente crônica e benigna, caracterizada por hipertrofia especialmente das glândulas salivares, embora também possa afetar as glândulas lacrimais.

Foi descrita primeiramente no ano de 1888, por Johann Mikulicz. Já no ano de 1952, Godwin propôs um novo nome, lesão linfoepitelial benigna.

Esta síndrome decorre de uma complicação de um transtorno subjacente, como linfoma, leucemia, sarcoidose, tuberculose, dentre outras. Acredita-se que possa ser uma variante da síndrome de Sjögren, distinguindo-se pela ausência de artrite reumatoide.

Clinicamente, observa-se aumento assimétrico das glândulas afetadas, em especial lacrimais, salivares e parótida, acompanhada de xerostomia e diminuição da secreção lacrimal, resultando em secura da boca e olhos, respectivamente. Os pacientes podem apresentar quadros febris recorrentes.

Em 5 a 10% dos casos, pode haver evolução desta desordem para linfoma ou carcinoma.

O tratamento é feito utilizando-se medicamentos como antibióticos e anti-inflamatórios.  Outra opção é  o uso de radiação, embora possa levar a consequências indesejáveis, como degeneração do parênquima glandular.

Fontes:
http://es.wikipedia.org/wiki/Síndrome_de_Mikulicz
http://yasalud.com/sindrome-de-mikulicz/

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Inflamações, Síndromes