Período Edo

Um dos mais importantes períodos da história japonesa, o período Edo tem seu início marcado pela ascensão de Tokugawa Ieyasu, três anos após a batalha de Sekigahara, em 1603, que estabelece seu xogunato na então cidade de Edo, atual Tóquio.

Nos próximos 268 anos o Japão experimentou um período de relativa paz em que floresceram as artes, como o famoso teatro kabuki, a pintura em madeira e também a educação, e onde puderam se desenvolver a agricultura e a construção de estradas, fatores que, mais tarde, contribuíram em muito para a rápida industrialização do país.

No Período Edo a sociedade era rigidamente dividida em quatro classes e uma vez integrante de uma classe não era permitido mudar: os camponeses, os artesãos, os comerciantes e os samurais. Durante este período, conhecido como “A Idade da Paz Ininterrupta”, proliferaram os chamados “ronin’s”, samurais sem senhor, que com a desativação da guerra tiveram que se dedicar a outras tarefas, tornando-se os principais responsáveis pelo desenvolvimento das artes, principalmente da escrita, da arte do chá, do teatro e da pintura.

O Período Edo é conhecido também, pelo forte isolamento político-econômico do Japão a partir de 1641 quando foi desfeito o último acordo comercial que eles mantinham com a Holanda. Até mesmo o comércio com a China ficou bastante reduzido. Os cristãos foram expulsos, assim como os portugueses, os japoneses foram proibidos de sair do Japão e ninguém entrava, e os únicos navios que ainda mantinham algum laço comercial com aquele país chegavam apenas ao porto de Nagazaki, o único contato do Japão com o resto do mundo pelos próximos duzentos anos.

Durante este período de ostracismo japonês os Tokugawa mantiveram-se no poder. Alguns problemas políticos e tentativas de reformas surgiram e se dissiparam até que em 1853 um enorme navio negro movido a vapor aportou à baía de Tóquio. O norte-americano “US-Mississipi” causou grande impressão nos japoneses à dois séculos isolados do mundo.

Diante da ameaça bélica de uma das grandes potências mundiais, o xogum se viu obrigado a assinar um tratado comercial reabrindo o Japão aos americanos. Depois deles vieram ainda os britânicos e os russos, marcando de vez o fim do Período Edo e a reabertura do Japão ao mundo.

Arquivado em: Japão