Níveis de linguagem

Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância (UFF)
Graduação em Letras (Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira, FUNCESI)

Os níveis de linguagem, também chamados de “níveis de fala” ou “registros”, são as variações no uso da língua, ocorridas em função das diferentes situações sociais em que os falantes se encontram. Há o “nível de fala formal”, no qual predomina o uso da norma culta; e o “nível de fala coloquial”, caracterizado pelo uso mais popular da linguagem. É imprescindível ressaltar que é a situação de interlocução que determina o nível da fala a ser empregado, conforme veremos no caso que contarei a seguir.

Certa vez, um amigo comentou comigo sobre uma confirmação de presença em uma festa de aniversário. Era a festa de uma amiga que estava completando trinta anos. Seria, ao que tudo indicava, uma festa mais formal, tendo em vista a exigência do traje social. Os convidados deveriam confirmar a presença, por meio do envio de uma mensagem para o e-mail informado. Ele escreveu uma mensagem mais culta, acreditando estar se dirigindo à equipe de cerimonial. Como resposta, obteve: “Beleza, Caio! Te aguardo! Abração, Tati.”. Só depois descobriu que a amiga tinha criado um e-mail para esse fim...

Note que Caio optou pelo nível de fala formal ao construir a mensagem, pois achava que tinha consciência do leitor da referida mensagem. Como o evento seria formal, pensou que a confirmação seria feita pelo cerimonial. Daí a necessidade da linguagem mais “pomposa”.

Quando recebe a resposta, um fato surpreende-o. Qual? Era Tati que respondeu. Como há uma relação de proximidade, intimidade entre os dois (eles são amigos), ela escreveu de modo coloquial, com o uso de gíria (“Beleza”); próclise no lugar ênclise (“Te aguardo!”); e palavras que demonstram afetividade (“Abração”, “Tati”). Se ele soubesse que era a amiga que responderia, certamente não se dirigiria a ela com uma mensagem formal. Esse caso evidencia que é a situação comunicativa (quem diz, para quem diz, com qual intenção) que determina o nível de linguagem a ser empregado.

O nível de fala formal

O nível de fala formal é empregado em textos orais e principalmente escritos. Há muitas situações em que os falantes empregam um vocabulário predominantemente culto; estruturas de frases mais padronizadas; elementos coesivos, como pronomes, para evitar a repetição de termos, etc. Em outras palavras, eles buscam falar em consonância com as regras gramaticais instituídas pela língua. O nível de fala formal está presente em textos da esfera religiosa, científica, escolar, jurídica, etc.

O nível de fala coloquial

O nível de fala coloquial é empregado em textos escritos, mas sobretudo em textos orais. Sempre que há uma relação de intimidade ou proximidade entre os interlocutores, entra em cena uma linguagem predominantemente popular. Nessas situações, os falantes usam um vocabulário mais familiar; gírias; expressões regionalistas; repetições de termos; redução de palavras. Em suma, usam uma linguagem mais natural, despreocupada com os preceitos gramaticais.

Para concluir

Nível de fala formal ou nível de fala coloquial? Depende da situação comunicativa em que se encontra o falante. Dessa maneira, há situações em que o formal é o adequado, ao passo que há outras em que o coloquial é o adequado. Nesse contexto, é importante frisar que não há um nível melhor que outro.

Referências:

PRETI, Dino. Mas, afinal, como falam (ou deveriam falar) as pessoas cultas? In: ___ Estudos da língua oral e escrita. Rio de Janeiro: Lucena, 2004. p.13-20.

___ Sociolinguística – os níveis de fala. 9.ed. São Paulo: EDUSP, 2003.

Arquivado em: Linguística, Redação