A Arte da Guerra

A Arte da Guerra é o nome de um antigo tratado militar chinês, surgido por volta do século V a.C. Está dividido em treze capítulos, cada um lidando com um tema específico da tática de combate conhecida até à época de seu surgimento. Nele há matérias tão diversas como psicologia, estratégia, meteorologia, topografia, política, economia, história, filosofia, literatura, ciências naturais, todas direcionadas à arte da guerra.

Tradicionalmente, o texto é atribuído a Sun Zi (Wade-Gilles: Sun Tzu), militar, estrategista e filósofo chinês, que viveu por volta do século VI a.C. Nascido Sun Wu, ele é mencionado na clássica obra de história Shi Ji. Acredita-se que apenas revisões muito pequenas ocorreram logo após a morte de Sun Wu, no início do século V a.C., a fim de formatar o texto completo que temos hoje.

Este tratado militar foi amplamente reproduzido e distribuído na China no Período dos Reinos Combatentes, época em que o país ainda não existia como ente unificado, e vivia em constante guerra civil entre suas diferentes regiões. Na época da Dinastia Tang, o livro já tinha chegado ao Japão. Acredita-se que este livro tenha sido fonte para diversos outros tratados. Como exemplo, pode-se citar os textos clássicos Wei Liaozi e Arte da Guerra de Sun Bin, que reproduzem bastante da fraseologia utilizada nesta obra.

Os ensinamentos contidos em seu texto são geralmente interpretados como um guia para a luta, demonstrando de forma clara os pontos que levam de fato um combatente a ser vitorioso. Ao mesmo tempo, A Arte da Guerra também atenta para os erros cometidos por alguns administradores, indicando formas de corrigir e evitar equívocos.

Ainda mais importante, seu texto traz a mensagem do propósito do uso da força militar, enfatizando que as pessoas sofrem com tumultos, e que a paz sempre deve ser preservada. Muitos interpretaram o texto como uma instrução sobre como avançar em sua vida por meio do aprimoramento da virtude. Reis e cortesãos teriam se inspirado no A Arte da Guerra para gerir os assuntos nacionais de forma digna.

Hoje em dia, as teorias e ideias de “A Arte da Guerra” são muitas vezes utilizadas nos processos de tomada de decisão de negócios modernos e gestão social. Sua forma didática e objetiva se adaptaria perfeitamente ao comportamento do empreendedor moderno, fazendo deste um livro bastante popular, mesmo que seu conteúdo seja dedicado a um público bem específico. Assim, A arte da Guerra é considerado hoje um extraordinário guia de estratégia e liderança, tendo se espalhado pelo mundo.

Arquivado em: Livros