O Mulato

Obra de Aluísio Azevedo publicada em 1881, O Mulato foi o romance que marcou o começo do naturalismo na literatura brasileira. O livro abordou temas delicados para a época como o preconceito contra os negros na sociedade do Maranhão daquele período e a corrupção clerical. Desta forma, o escritor irritou seus conterrâneos e sofreu com a pressão das publicações locais.

o mulato"Satanás da cidade". Assim ficou conhecido Aluísio Azevedo em São Luis pela autoria de O Mulato. O grau de insatisfação que o romance causou pode ser medido por uma matéria publicada em um jornal daquele período chamado "A Civilização", na qual o escritor era aconselhado a "pegar na enxada, em vez de ficar escrevendo". Devido a isso, o autor precisou voltar para o Rio de Janeiro, onde  foi bem recebido e teve sucesso.

Principais personagens de O Mulato:

  • Raimundo: personagem principal. Filho da escrava Domingas com José Pedro da Silva. Sua figura idealiza a superioridade física, intelectual e moral.
  • Ana Rosa: filha de Manuel Pescada, noiva e prima de Raimundo. O pai de Ana Rosa não concordava com sua relação com Raimundo, que era filho de escrava. Personagem utilizada para citações literárias, pois gostava de ler Eça de Queirós e Flaubert.
  • Manuel Pescada: Pai de Ana Rosa. De origem portuguesa, era um homem com tino para o comércio, apreciava livros e a leitura de jornais.

A importância de O Mulato para o naturalismo brasileiro pode ser observada nos seguintes elementos:

  • Sensualidade: paixão carnal de Ana Rosa em relação a Raimundo
  • Crítica social: sátira feita com a criação dos tipos que habitavam São Luis. O escritor criou personagens imorais e grotescos como um comerciante grosseiro e rico, uma beata odiosa e velha, entre outros.
  • Anti-clericalismo: um padre assassino e descompromissado com a batina, cônego Diogo, personagem extremamente hipócrita.
  • Preconceito perante os negros: em toda a trama de O Mulato, o escritor opõe-se aos abusos relacionados aos escravos.
  • Triunfo do mal: o livro termina com a gratificação dos criminosos. O padre Diogo torna-se cônego e a heroína casa-se com o homem que assassinou Raimundo.

Entre outros aspectos, O Mulato foi um livro publicado em meio à forte campanha a favor da abolição da escravatura, outro fator que aumentou o escândalo causado pela obra naquela época. Um grande mérito do livro é a análise da posição do mestiço na sociedade do Maranhão e os ataques ao preconceito contra os negros.

De acordo com as leis autorais atuais do Brasil, O Mulato encontra-se em domínio público.

Fontes:
AZEVEDO, Aluísio. O mulato. São Paulo: Martins, 1964.
http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=2024
http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/livros/resumos_comentarios/o/o_mulato
http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Mulato
http://educacao.uol.com.br/biografias/aluisio-azevedo.jhtm

Arquivado em: Livros