Coala

Graduada em Ciências Biológicas (USU, 2009)

Os coalas são animais australianos, pertencentes ao grupo dos mamíferos marsupiais, isto é, possuem uma bolsa ventral, chamada de bolsa marsupial ou marsúpio, para o desenvolvimento dos filhotes que nascem prematuros, assim como acontece com os cangurus da mesma região e os gambás que podem ser vistos no Brasil. Na Austrália, os coalas podem ser encontrados na região de florestas a nordeste e sudeste do país.

Os coalas são animais lentos que raramente descem das árvores e bebem pouca água, recorrendo ao líquido apenas em caso de doenças ou extrema desidratação devido ao calor. Geralmente, conseguem todo o líquido que necessitam através da alimentação que consiste basicamente em folhas de algumas espécies de eucalipto. As folhas são cuidadosamente escolhidas, e frequentemente as mais novas são recolhidas. Após ingeri-las as folhas permanecem em suas bochechas para serem mastigadas aos poucos e a absorção do nutriente acontece em seu longo intestino.

Coala. Foto: worldswildlifewonders / Shutterstock.com

As principais características desse animal são: a cabeça grande, o focinho curto e os olhos bem separados. O nariz achatado com as narinas em forma de V tem papel importante no equilíbrio térmico do corpo. O pelo do animal é denso e macio desempenhando importante função na proteção contra os fatores meteorológicos e regulação térmica. Como eles não constroem abrigos, ficam constantemente expostos a chuvas e o Sol. A pelagem no dorso dos coalas é bastante densa e ficam mais escurecidas durante o inverno para captar mais o calor do Sol e durante o verão tornam-se mais escassas para não aquecer o corpo do animal.

Ao escalarem árvores utilizam seus músculos nas pernas bem desenvolvidos e compensam a falta de cauda com seus dedos largos e com garras bem desenvolvidas. Apenas os polegares não possuem garra e o polegar das patas posteriores são os únicos dedos opositores.

O período reprodutivo dos coalas dura aproximadamente 4 meses. Neste período os machos adultos demarcam seu território com substâncias odoríferas e ao mesmo tempo emitem sons para atrair as fêmeas. Ao se encontrarem, a fêmea costuma ser agressiva com o macho e assim que acaba o acasalamento as fêmeas expulsam os machos com veemência. A gestação dura 35 dias e após o nascimento precoce da prole, que acontece apenas uma vez por ano (geralmente nasce apenas um filhote, raramente dois), os filhotes escalam os pelos das mães até chegarem à região das mamas onde prontamente se aderem e permanecem até desenvolverem-se por completo. Com 8 meses de desenvolvimento os filhotes permanecem mais tempo fora do marsúpio do que dentro, colocando a cabeça dentro da bolsa apenas quando necessitam mamar, mas já comem também folhas de eucalipto.

Coala e seu filhote. Foto: apple2499 / Shutterstock.com

Os coalas possuem poucos predadores, prevalecendo o homem que os caçam pela pelagem e os aborígenes para se alimentar preferindo o coala por serem lentos e quando ameaçados não fugirem. No ambiente natural o cachorro selvagem (Canis dingo) se alimenta dos coalas velhos ou doentes, já que os jovens e de boa saúde podem machucar o cachorro com facilidade com suas garras.

A principal ameaça sofrida pelos coalas são a caça desses animais para retirar sua pele e vendê-la a indústrias têxteis que fabricam casacos com esses animais. Além disso, o desmatamento que diminui a área alimentícia e as queimadas que além de destruir as árvores ainda matam inúmeros animais que não conseguem fugir a tempo devido ao seu deslocamento ser lento.

Bibliografia:

Reis et al.(eds.), 2006. Mamíferos do Brasil, Londrina, 437p.

Cáceres, Nilton Carlos, 2012. Os marsupiais do Brasil: Biologia, ecologia e conservação. Editora: UFMS.

Arquivado em: Mamíferos