Granizo

Mestre em Educação, Comunicação e Tecnologia (UDESC, 2016)
Graduada em Geografia (UDESC, 2014)

O granizo é um fenômeno atmosférico resultante da precipitação de pelotas de gelo, sua formação é semelhante à da chuva e da neve, pois as mesmas são formadas no interior das nuvens pelo processo de condensação de minúsculos cristais de gelo e gotículas de água. Estas se aglutinam ao redor dos núcleos de condensação (que podem ser partículas de poeira, pólen, cinza vulcânica, etc) até atingirem tamanho suficiente para precipitarem. Durante a queda até a superfície continuam a aglutinar moléculas e aumentar de tamanho.

Granizo. Foto: swa182 / Shutterstock.com

O granizo é formado no interior de nuvens do tipo cumulonimbus, que são nuvens de grande extensão vertical e formadas por correntes (de vento) convectivas ascendentes muito velozes. A velocidade do vento leva com rapidez a água para as partes da nuvem mais frias (abaixo de 0°C), que ocasiona seu congelamento. Quanto mais forte é o transporte da água dentro da nuvem (chamado de turbulência) maiores serão as pelotas de gelo precipitadas.

As pelotas de granizo são classificadas segundo seu tamanho: até 5 mm de diâmetro são chamadas de granizo mole, bolas de gelo ou bolas de neve; de 5 mm até 50 mm é comum serem chamadas de saraiva. A comparação com objetos também é frequente, como ervilhas ou bolas de golfe. Importante lembrar que o formato das pelotas é irregular e pode-se notar o aglutinamento da água nos momentos de formação das pelotas.

A maior pedra de gelo já registrada possuía, no momento da medição, 20 cm de diâmetro e pesava 880 gramas e foi encontrada nos Estados Unidos no estado de Dakota do Norte durante o ano de 2010. Como podemos perceber, as tempestades com ocorrência de granizo podem ser muito perigosas, pois podem ter força o suficiente para perfurar telhados, matar culturas agrícolas, causar acidentes de trânsito e até matar pequenos animais.

As tempestades com ocorrência de granizo são detectáveis por imagens de satélite e radares meteorológicos. Culturas como a da uva, por exemplo, são particularmente sensíveis a pedras de gelo menores e prejuízos de milhões de reais podem ser somados a economia, portanto órgãos do governo monitoram constantemente o movimento das massas de ar afim de alertar a população para a ocorrência de uma tempestade.

A orientação para a população em caso de tempestades com granizo é: Não se abrigar embaixo de árvores, placas de propagandas, torres de transmissão, estruturas metálicas ou estruturas frágeis por conta do risco de queda; se estiver em deslocamento (carro, moto, bicicleta, etc) procure se abrigar embaixo de uma estrutura sólida, para evitar danos ao veículo e a você mesmo.

Por fim não confunda granizo com granito. Como vimos, o granizo é um fenômeno atmosférico, já o granito é uma rocha ígnea!

Referencial Bibliográfico:

Mendonça, F.; Danni-Oliveira, I. M. Climatologia: noções básicas e climas do Brasil. São Paulo: oficina de texto, 2007.

http://www.inmet.gov.br

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/07/granizo-de-20-cm-de-diametro-bate-recorde-de-maior-dos-eua.html

http://www.defesacivil.rs.gov.br/saiba-como-agir-em-caso-de-granizo