Onda de calor

Mestre em Educação, Comunicação e Tecnologia (UDESC, 2016)
Graduada em Geografia (UDESC, 2014)

É difícil definir exatamente o que é uma onda de calor, haja vista que não há uma definição internacional do que seja esse fenômeno. O que encontramos na literatura cientifica e popular é uma definição consensual que diz respeito ao aumento da temperatura, que ficaria acima da média pro período por um determinado período de tempo, normalmente entre 3 e 6 dias. Não há uma causa especifica pra a formação de ondas de calor podendo variar de localidade para localidade, sendo um aumento da temperatura que pode estar ligado a ciclos climáticos ou eventos como La Niña e El Niño, em alguns casos está associada a anomalias na circulação superior da atmosfera que levam condições climáticas favoráveis ao aparecimento das ondas como céus limpos, ventos leves, movimentação de massas de ar quentes essas condições levam a um prolongamento altas temperaturas.

Foto: tcsaba / Shutterstock.com

Definidas cientificamente ou não as ondas de calor causam um grande impacto social e econômico chegando a causar óbitos, internações, perda de lavouras. Esses efeitos são sentidos de forma diferente por cada localidade afetada, já que um aumento de temperatura em uma localidade acostumada com o calor é diferente de uma localidade em que encontramos um clima frio. Podemos observar por exemplo o impacto que as ondas de calor e 1995 em Chicago e 2003 na Europa como forma de corroborar essa afirmação, aja vista o impacto social que essas duas ondas de calor tiveram em suas respectivas áreas, áreas essas consideradas de clima frio. A onda de calor de Chicago por exemplo matou mais de 500 pessoas em cinco dias, principalmente idosos e crianças que são mais vulneráveis às mudanças de temperatura. Estima-se que a onda de calor europeia do ano de 2003 matou mais de 70 mil pessoas, sendo 14 mil somente na França, num período dos meses de julho e agosto. Já em zonas tropicais as ondas de calor são pouco sentidas, sendo consideradas como verões ou invernos excepcionalmente quentes. O fenômeno das ondas de calor é muitas vezes agravado pelas ilhas urbanas de calor. As ilhas de calor derivam da capacidade de armazenar energia que os materiais utilizados na construção civil possuem, assim as temperaturas nos grandes centros urbanos que já são altas acabam por atingir níveis nunca registrados devido a ação desse dois fenômenos.

As causa das ondas de calor variam de momento para momento, mas estudos indicam que há um aumento na ocorrência, na duração e intensidade das ondas de calor. Isso se deve a grande urbanização das áreas afetadas, mas principalmente ao aumento geral da temperatura da Terra. Dados apontam que as ondas de calor em Chicago aumentaram de 5 para 8 dias em média e que em Paris de 8 para 12 dias. Essa situação exige uma adaptação cada vez maior das cidades para encarar eventos climáticos extremos de forma a mitigar os efeitos sobre a população e sobre os serviços de emergência.

Referencial Bibliográfico:

http://www.ask-force.org/web/Global-Warming/Meehl-Heat-Waves-Science-2004.pdf

http://www.isws.illinois.edu/atmos/statecli/General/1995Chicago.htm

http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1256/wea.73.04/epdf

http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/joc.1874/pdf

http://www.geografia.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=245