Tenebrismo

O Tenebrismo foi uma tendência da pintura, surgida no Barroco por volta de 1600, na Itália, e que se estendeu até o Romantismo.

Pintura de Georges de La Tour

O termo “Tenebrismo” deriva da palavra latina “tenebra”, que significa treva. A tendência pode ser identificada também como uma radicalização do Chiaroscuro, uma das inovações pictóricas de Leonardo Da Vinci. O Chiaroscuro tem por aspecto principal o grande contraste entre luz e sombra nas pinturas, para evidenciar traços da realidade e causar uma impressão de profundidade nas representações. O Tenebrismo também utiliza o contraste em suas pinturas, no entanto de forma bastante exacerbada.

A intensidade do contraste nas obras atribui aos personagens representados certa característica monumental, mas também tende a aumentar a sensação de realismo, pois a intensidade do contraste evidencia as expressões faciais e o desenho da musculatura corporal. O contraste com o fundo das obras, geralmente completamente enegrecidos, determina uma importância crucial e praticamente única, para o sentido da obra, do primeiro plano.

O Tenebrismo teve indícios ainda na Renascença, mas foi com Michelangelo Merisi, o Caravaggio, que a tendência ganhou força e definição, além de reconhecimento no campo das artes plásticas. Houve também artistas adeptos da tendência tenebrista na França, Holanda e Espanha.

Apesar de ter tido curta duração como corrente estilística, a contribuição técnica do tenebrismo foi incoporada à História da Pintura e utilizada por outras vertentes estéticas pictóricas.

Caravaggio foi o primeiro grande representante do estilo Barroco, também produziu muitas obras na vertente do Chiaroscuro. Foi o grande nome do Tenebrismo. No entanto, outros artistas também se destacaram na vertente tenebrista, como: Georges de La Tour, Battistello Caracciolo, Giovanni Baglione, Mattia Preti, Rembrandt van Rijn, José de Ribera, Francisco Ribalta e Francisco de Zurbarán.

Fontes:
http://www.vidaslusofonas.pt/caravaggio.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Tenebrismo
http://educacao.uol.com.br/biografias/caravaggio.jhtm