Blues

Pode-se dizer que o blues nasceu da nostalgia dos escravos negros, das saudades de sua terra natal e da liberdade, dos valores perdidos, do próprio trabalho forçado nos campos de algodão, tabaco e milho da região do Rio Mississipi. Esta expressão tem o sentido de ‘melancolia’, o que traduz o sentimento dos negros desde o momento em que desembarcaram no solo norte-americano, em agosto de 1619.

Foto: optimarc / Shutterstock.com

Foto: optimarc / Shutterstock.com

Este estilo musical vocal ou muitas vezes instrumental se baseia na vibração de notas tocadas ou cantadas em baixa freqüência, na tentativa de obter uma maior expressividade, valendo-se também de estrofes repetitivas. Ele nasceu dos cânticos religiosos, conhecidos como ‘spirituals’, bem como dos gritos e das músicas cantadas enquanto os negros trabalhavam, e dos sons entoados pelos escravos libertos. Suas raízes, com certeza, encontram-se fincadas no continente africano. As letras quase sempre transmitiam mensagens de protesto contra as condições a que esta comunidade era submetida na América.

Os negros traziam consigo uma cultura muito rica, porém sufocada no Novo Mundo. Mas o ritmo potente, preso na garganta de cada escravo, logo explodiria, expressando-se inicialmente através das canções de trabalho, nas quais um dos cantores lançava um verso, seguido de vozes em coro que soavam como respostas a este lamento. Logo os versos entoados na língua africana se misturaram às palavras aprendidas do inglês, tudo sem nenhum acompanhamento instrumental.

Depois da Guerra da Secessão, com a liberação dos escravos, que na região de Nova Orleans predominam sobre os brancos, os negros seguem cantando e tocando, após um século de aculturação. Nasce assim a figura do blues man, a princípio acompanhado por um banjo. Os instrumentos musicais se vêem na obrigação de reproduzir a voz humana, pois este ritmo é essencialmente vocal. É no embalo desta necessidade que surge a guitarra acústica, com a cumplicidade de instrumentos de percussão africana.

O Blues passa a retratar dramas amorosos e disputas tingidas de sangue, com as línguas africanas cedendo cada vez mais lugar ao idioma inglês. Este ritmo é incorporado à cultura americana e adorado pelo público, apesar do preconceito racial vigente nos EUA. Consagram-se artistas como Bessie Smith e Ottis Redding, entre outros. O clima nostálgico dos blueseiros primitivos é reproduzido nos círculos musicais atuais através de um recurso conhecido como ‘slide’, que recria a tristeza dos escravos, com um som impregnado de expressividade, próprio dos primórdios do Blues.

Este movimento musical tem inspirado, ao longo do tempo, a história da música popular do Ocidente, deixando sua marca original em estilos como o ragtime, o jazz, o rhythm and blues, o rock, a música country, a soul music, a música pop tradicional e até mesmo nas composições clássicas modernas.

Arquivado em: Música