Lounge Music

A lounge music foi criada na década de 50, caracterizando então as canções executadas em ambientes destinados a tranquilizar a mente e o corpo, especialmente em bares finos, normalmente localizados em hotéis luxuosos. Ela passou a ser tocada também nos conhecidos Chill Out, pontos das raves e festivais nos quais as pessoas podiam dar uma trégua ao bombardeio musical do cérebro, cultivando um som mais calmo.

A expressão ‘lounge’ pode ser traduzida como lugar, enquanto lounge music teria o significado de música de sala de estar. Ela atua como uma sonoridade de fundo, que permite às pessoas interagirem sem serem perturbadas pelo som ambiente. Igualmente conhecida como Ambient music e Chill Out, ela é normalmente dividida em Downtempo, Break Beat, Trip Hop, Jazz e Bossa Nova.

Depois de ser exaustivamente cultivada na Europa, ela desembarcou no Brasil. Aqui a lounge music vem ganhando um destaque crescente em meio aos produtores brasileiros e no circuito das gravadoras, entre elas a Azul Music, a Universal e a Studio K7, conquistando um patamar significativo na esfera do ritmo eletrônico.

Entre os trabalhos nacionais e do âmbito internacional destacam-se Sounds from the Verve Hi-Fi - Thievery Corporation -, DJ Kicks - Kruder & Dorfmeister -, Eletrobossa -Edson X -e coletâneas como Buddha Lounge, que na verdade são reinterpretações da lounge music original, as quais surgiram na década de 90. Antes deste sincretismo musical este estilo chegou a ser popularmente designado de música de elevador, em parte por conta das gravações do compositor Burt Bacharach.

Embora tenha se tornado, em dado momento, uma sonoridade direcionada exclusivamente para as altas classes, logo ela voltou a se massificar e hoje é vista como algo mais do que um som composto para preencher um ambiente. Isto graças a sua mixação com o funk, o jazz e a bossa nova, concretizada por Djs e produtores do circuito musical contemporâneo.

Divas do jazz,  como Billie Holiday e Nina Simone, além de compositores do porte de Tom Jobim e Astrud Gilberto, estão renascendo à luz de inovadoras versões de seus grandes hits. Todo esse trabalho é realizado com um alto nível qualitativo e boas doses de requinte, conquistando até mesmo a atenção de críticos e músicos mais difíceis de satisfazer.

Junto à percussão eletrônica são utilizados instrumentos de natureza acústica, entre eles baixo acústico, instrumentos de sopro, violão, percussão. No circuito nacional vêm aparecendo produções como as de Edson X, que criou o selo Batida Sossegada, com o objetivo de disseminar novos artistas.  A primeira coletânea aí nascida conta com a participação de Djs como Pedra Branca, Chill Out Company , Black Tie Projekt, entre outros.

Outro caminho seguido pela lounge music segue a marcante inspiração da música produzida no Mediterrâneo. Este estilo pode ser observado nas gravações de músicos como Jose Padilla, La Roca e Ekova.

Fontes:
http://psyte.uol.com.br/aspx/redacao/textos/texto.aspx?seq=27
http://www.fiberonline.com.br/estilo.php?id=7

Arquivado em: Música