Edema cerebral

Mestre em Neurologia / Neurociências (UNIFESP, 2019)
Especialista em Farmácia clínica e atenção farmacêutica (UBC, 2019)
Graduação em Farmácia (Universidade Braz Cubas, UBC, 2012)

O edema cerebral é uma resposta do corpo a vários tipos de injúria, também é considerado um inchaço de uma região cerebral ou de todo o cérebro que resulta do acúmulo de líquidos no tecido aumentando o volume e consequentemente a pressão intracraniana. Existem diferentes tipos de edemas entre eles o cerebral celular, o cerebral vasogênico e o cerebral osmótico. O edema cerebral celular também chamado de edema cerebral citotóxico corresponde a retenção de líquido no interior das células cerebrais em razão de anomalias do metabolismo celular e é normalmente originado devido a isquemias cerebrais, hipotermia, parada cardíaca ou traumatismo craniano. No edema cerebral vasogênico o líquido não acumula no interior celular mas sim nos arredores das células, essa forma de edema frequentemente coexiste com o edema citotóxico e em geral decorre de traumatismos, hipertensão, tumores e em alguns casos pela diminuição de oxigenação cerebral em locais de altitudes muito elevadas. O edema osmótico é decorrente de hiperidratação, neste caso, o corpo absorve muito mais água do que o necessário, promovendo esse acúmulo, é comum o aparecimento desses problemas em gastroenterites, alguns problemas mentais e prática de atividades físicas intensas.

Devido o aumento da pressão intracraniana os sintomas podem ser diversos. A cefaleia acomete todo o crânio, podendo também aparecer sintomas como tontura, dormência, distúrbios visuais, vômitos, edemas pupilares, confusão mental, crises convulsivas, perda da força muscular e até coma. Em recém nascidos, cuja calcificação óssea não está completa, também pode haver aumento do diâmetro da cabeça pelo alargamento das partes moles ainda não calcificadas, regiões essas conhecidas popularmente como moleiras.

Como a maioria das patologias, a existência de um edema cerebral detectada precocemente diminui risco de sequelas e auxiliam o prognóstico. O tratamento é feito a base de medicamentos capazes de reduzir o acúmulo de líquidos como diuréticos e corticoides, anti-hipertensivos, anti-inflamatórios, alguns casos barbitúricos e outros medicamentos que auxiliem o metabolismo cerebral e a circulação sanguínea. Terapias como a hiperventilação e hipotermia controlada auxiliam fornecendo mais oxigênio no cérebro reduzindo portanto as demandas metabólicas. Se o paciente apresenta dores ou convulsões podem ser utilizados outros medicamentos para a redução ou extinção desses sintomas. Em casos de doenças que dão origem ao edema cerebral, estas devem primeiro serem tratadas para que haja efetividade terapêutica, caso contrário, o paciente continuará apresentando os sintomas.

A correta e precoce identificação do problema é fundamental para que a assistência realizada ao paciente seja de fato eficaz, a demora ao procurar atendimento médico especializado pode aumentar as chances de danos causados pelo edema e causar sequelas irreversíveis ao tecido nervoso. As complicações envolvem sequelas permanentes ou incapacitantes, causando prejuízo na cognição, como dificuldades de aprendizado e atraso do desenvolvimento, gerando também alterações na personalidade do paciente, fraquezas, paralisias musculares, inconsciência e coma. O aumento do volume cerebral pode também causar deslocamento das áreas afetadas dando origem às hérnias intracranianas, que nesse caso pode ser mortal.

É imprescindível que todos os pacientes com edema cerebral devam ter seu tratamento voltado para solucionar a patologia base, o bom manejo do paciente é de importância vital, assegurando assim, resultados clínicos adequados.

Bibliografia:

ABCMED, 2014. O que devemos saber sobre o edema cerebral?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/571762/o-que-devemos-saber-sobre-o-edema-cerebral.htm>. Acesso em: 26 nov. 2019.

Muxfeldt, P. 2017. “ Edema cerebral: tipos e causas” CCM Saúde, registro nº19741, Disponível em: https://saude.ccm.net/faq/4569-edema-cerebral-tipos-e-causas Acesso em:27/11/19

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Neurologia