Ciência Sem Fronteiras funcionará apenas para pós-graduação

04/04/2017 - 15h31 - Por Thaís Ferraz





O Ministério da Educação (MEC) publicou nesta semana uma nota na qual afirma que o programa Ciência Sem Fronteiras continuará funcionando plenamente apenas para as modalidades de pós-graduação (Mestrado, Doutorado, Pós-doutorado e atração de jovens cientistas). O documento pode ser conferido na íntegra neste link.

De acordo com o Ministério, o principal motivo para o fim das bolsas de graduação foram as "dívidas elevadas deixadas pelo governo anterior" e os altos custos de manutenção do programa, que chegaram a R$ 3,7 bilhões em 2015.

O último edital do programa foi lançado em 2014. Em junho de 2015, o Governo Federal indicou a possibilidade de um novo edital, mas o programa foi congelado em setembro do mesmo ano. Em 2016, a CAPES divulgou uma nota apresentando alterações fundamentais no Ciência Sem Fronteiras, que passaria a priorizar duas áreas: a pós-graduação e o ensino médio (para estudantes matriculados em escolas públicas).

Bolsas para a pós-graduação

O MEC não divulgou nenhum edital para as bolsas de pós-graduação pelo Ciência Sem Fronteiras, mas afirmou que a Capes mantém editais para essas modalidades e contempla 5 mil estudantes neste ano.

De acordo com informações do Diário Catarinense, a Capes deve lançar até o início do próximo semestre o edital de um novo programa, conhecido como Mais Ciência, Mais Desenvolvimento (MCMD), que terá foco na pós-graduação e substituirá o Ciência Sem Fronteiras. Para participar do MCMD, as instituições deverão apresentar um plano de internacionalização dos cursos para os próximos quatros anos.

Na nota publicada na página do MEC, o Ministério afirma que "atualmente, a Capes discute novas estratégias de internacionalização e apoio à excelência nas universidades".