Dentina

A dentina é um tecido conjuntivo avascular, de coloração branco-amarelada, mineralizado, mais duro do que o osso, em consequência de uma elevada quantidade de sais de cálcio. É uma das partes formadoras do dente, localizado mais internamente, abaixo do esmalte e do cemento. É formada principalmente por fibrilas de colágeno tipo I, glicosaminoglicanos, fosfoproteína, fosfolipídios e sais de cálcio sob a forma de cristais de hidroxiapatita.

Sua matriz orgânica é secretada pelos odontoblastos, células que estão na periferia da polpa dental, junto à dentina. Estas células são alongadas e deposita a matriz orgânica apenas sobre a superfície dentinária. Cada célula desta possui ramificações apicais que penetram em toda a dentina. Estes prolongamentos vão se tornando mais longos à medida que a dentina vai ficando mais espessa, ocupando os denominados túbulos dentários. Estes túbulos são canais estreitos que se ramificando intensamente próximo da junção entre dentina e esmalte.

A pré-dentina é a matriz não mineralizada sintetizada inicialmente pelos odontoblastos. Sua mineralização da dentina em desenvolvimento é iniciada quando vesículas envoltas por membrana (vesículas da matriz), que são produzidas pelos odontoblastos, aparecem. Possuem um grande conteúdo de íons cálcio e fosfato no seu interior, facilitando o aparecimento de pequenos cristais de hidroxiapatita que crescem passando a servir como sítios de nucleação para deposição adicional de minerais sobre as fibrilas colágenas circundantes.

A dentina é sensível a variados estímulos, como: calor, frio, trauma e pH ácido. A parte da polpa dental é muito inervada, já a dentina possui poucas fibras nervosas amielínicas que penetram nos túbulos na sua porção pulpar.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dentina
http://www.foar.unesp.br/Atlas/Res_Dentina_e_Polpa.html
http://www.endomicro.com/endodontics.asp
Histologia Básica – Luiz C. Junqueira e José Carneiro. Editora Guanabara Koogan S.A. (10° Ed), 2004.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Odontologia