Milho

O milho pertence à família Poaceae, ao gênero Zea e sua espécie única recebe o nome de Zea mays. É um cereal de alto valor nutricional e por isso mesmo está sendo largamente utilizado na composição de rações animais e outros alimentos humanos. É um dos grãos mais assistidos de tecnologias de plantio e colheita, é cosmopolita e sua produção em 2004 chegou 600 milhões de toneladas em todo o mundo.

Milho. Foto: ANEK SANGKAMANEE / Shutterstock.com

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Poales
Família: Poaceae
Gênero: Zea
Espécie: Z. mays

Os Estados Unidos lideram o ranking dos países que mais produzem milho. Já aqui no Brasil, Paraná e São Paulo lideram a produção interna. Ainda se tratando do nosso país, as estatísticas mostram que cerca de 5% do milho produzido aqui é consumido por humanos. Muito pouco se comparado com os 95% restantes que se dividem entre exportação e consumo interno pelos animais. Acredita-se que isto só acontece porque não há uma divulgação em massa das informações nutricionais deste grão. O período de safra, que é entre dezembro e abril, facilita seu consumo, pois são cinco meses em oferta no mercado a preços mais baixos do que quando não é safra. Alimento barato e saboroso e de muitos usos.

O milho, mesmo quando submetido a procedimentos industriais, mantém a casca que é uma excelente aliada na excreção das toxinas ingeridas durante as refeições. O milho não contém glúten, o que aumenta a gama de consumidores que estavam restringidos ao consumo de trigo, aveia e cevada, por exemplo. Este grão maravilhoso ainda tem uma vitamina especial, a B1 ou tiamina, como é mais conhecida, que confere tônus ao músculo cardíaco ajudando a manter o ritmo cardíaco normal. Também tem a vitamina E muito utilizada como conservante alimentar, já que apresenta a propriedade antioxidante. Mas não é só isso, esta vitamina também auxilia, segundo alguns estudos científicos, no combate a degeneração muscular e confere proteção ao aparelho reprodutor. E o cérebro também agradece à esta vitamina, já que é rica em fósforo (substância necessária ao sistema cerebral).

Este cereal deve sempre que possível ser adquirido na sua forma natural, fresca. De preferência ainda com as folhas que dão proteção aos grãos. Porém se já não for possível tê-lo ao natural com a casca, analise bem a parte inferior da espiga, se estiver afiladinha e macia, o milho está apto para o consumo.

As formas mais comuns de consumo do milho são: cozidos sem casca, assados em espiga inteira com manteiga por cima, em grãos se faz pipoca ou canjica de milho.

No preparo das refeições o mais indicado é o óleo de milho, já que graças a suas propriedades ele dificulta a composição de flocos (placas) de gordura no sangue, conseguindo controlar ou diminuir então os níveis de colesterol ruim (LDL).

Bibliografia:
http://www.copacabanarunners.net/milho.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Milho
http://www.vitaminasecia.hpg.ig.com.br/milhoorientacao.htm