Crase facultativa

Mestra em Letras e Linguística (UFG, 2016)
Licenciada em Letras-Português (UFG, 2009)

Publicado em 19/02/2022
Ouça este artigo:

A Crase é um processo fonológico que ocorre quando há junção de dois fonemas vocálicos idênticos (Preposição “a” + Artigo “a” ou Preposição “a” + Pronome). Na fala, ela significa apenas uma emissão de som. Na escrita, porém, é marcada pelo uso do acento Grave [ ` ] na Vogal [ à ].

Leia os exemplos a seguir:

André vai a (….......algum lugar............).

André vai a (….o jogo de futebol....). → André vai ao jogo de futebol.
(Artigo e Substantivo masculinos)

André vai a (…........a academia..........). > André vai à academia.
(Artigo e Substantivo femininos)

A partir da leitura do terceiro exemplo é possível observar que, na fala, a Crase, é imperceptível. Entretanto, quando utilizamos a Língua Portuguesa na modalidade escrita, é necessário sinalizá-la, já que a Preposição “a” é exigida pela regência do Verbo “ir” (quem vai, vai a algum lugar) e o Artigo “a” acompanha o Substantivo feminino “academia”. Em razão da união dos sons vocálicos idênticos “a + a” = “à” é necessária a sinalização da Crase na escrita.

Situações em que o uso da Crase é facultativo

Há várias situações em que o uso da Crase e obrigatório e três situações em que seu uso é facultativo, ficando a critério do usuário da língua utilizá-la ou não. Vejamos cada um deles:

1. O uso da Crase é facultativo quando anteceder Substantivos Próprios Femininos.

Exemplos:

  • Entreguei os livros a Francisca.
  • Entreguei os livros à Francisca.

O uso da Crase antes de Substantivos Próprios Femininos é facultativo porque não é obrigatória a colocação do Artigo “a” antes de Substantivo Feminino. Observe:

  • Francisca gosta muito de ler.
  • A Francisca gosta muito de ler.

2. O uso da Crase é facultativo quando anteceder Pronomes Possessivos Femininos.

Exemplos:

Entreguei o primeiro pedaço do bolo a minha mãe.
Entreguei o primeiro pedaço do bolo à minha mãe.

Mande lembranças a sua avó.
Mande lembranças à sua avó.

O uso da Crase antes de Pronomes Possessivos Femininos é facultativo porque também é facultativo o uso do Artigo antes de Pronomes Possessivos Femininos. Observe:

Minha mãe adora bolo.
A minha mãe adora bolo.

Sua avó será muito bem-vinda aqui.
A Sua avó será muito bem-vinda aqui.

3. O uso da Crase é facultativo após a Preposição “até”.

Exemplos:

Acompanhei o marceneiro até a porta.
Acompanhei o marceneiro até à porta.

Fui até a praça caminhando.
Fui até à praça caminhando.

Leia e aprenda mais sobre a Crase e sobre o uso do acento Grave.

Referência:

ABAURRE, Maria Luiza M. Gramática: texto: análise e construção de sentido. Volume único. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2010. p. 532 a 543.

Exercícios e questões de vestibulares

Questão 01:

A Crase é um processo fonológico que ocorre quando há junção de dois fonemas vocálicos idênticos (Preposição “a” + Artigo “a” ou Preposição “a” + Pronome). Há várias situações em que o uso da Crase e obrigatório e algumas em que seu uso é facultativo, ficando a critério do usuário da língua utilizá-la ou não. Analise os casos a seguir e marque a alternativa que corresponda apenas aos casos em que o uso da Crase for facultativo:

  • I) O uso da Crase é facultativo quando anteceder Pronomes Possessivos Femininos.
  • II) O uso da Crase é facultativo quando anteceder Substantivos Próprios Femininos.
  • III) O uso da Crase é facultativo após a Preposição “até”.
  • IV) O uso da Crase é facultativo na indicação de horas.
Veja a resposta desta e mais outras questões!
Exercícios sobre Crase facultativa - Português
Arquivado em: Português