Diminutivo dos substantivos

Mestra em Letras e Linguística (UFG, 2016)
Licenciada em Letras-Português (UFG, 2009)

Publicado em 11/08/2022
Ouça este artigo:

Os substantivos são palavras variáveis que nomeiam pessoas, animais, lugares, objetos, sentimentos. Em Língua Portuguesa, os substantivos sofrem a flexão de gênero (masculino e feminino), número (singular e plural) e podem apresentar diferentes variações de grau:

  • Quando não sofre alteração de grau, pode-se dizer que o substantivo está sendo utilizado em sua significação normal, no “grau normal”.

Exemplos: casa, chapéu, boca.

  • Quando a significação é diminuída ou atenuada, pode-se dizer que o substantivo está sendo utilizado no “grau diminutivo”.

Exemplos: casinha, chapeuzinho, boquinha.

Como você pôde perceber, o grau diminutivo indica que o substantivo expressa grandezas menores do que a média.

  • Quando a significação é aumentada, intensificada, pode-se dizer que o substantivo está sendo utilizado no “grau aumentativo”.

Exemplos: casarão, chapelão, bocarra.

Como você pôde perceber, o grau aumentativo indica que o substantivo expressa grandezas maiores do que a média.

A variação de grau dos substantivos pode ser marcada por dois processos gradativos:

1) Sintético: Realizado pelo acréscimo de sufixos diminutivos ou aumentativos.

Diminutivo sintético

Uso de sufixos diminutivos: -inho, -inha, -zinho, -zinha, -im, -ito, -ita, -ico, ica, -elho, -elha, -eto, -eta, ete, -oca, -ote, -ucho, -culo, -cula, -ulo, -ula.

Exemplos:

  • carrinho
  • balinha
  • pezinho
  • mãezinha
  • festim
  • rapazito
  • burrico
  • rapazelho
  • coreto
  • corpete
  • engenhoca
  • velhote
  • gorducho
  • ridículo
  • película
  • glóbulo
  • célula
  • fécula

Aumentativo sintético

Uso de sufixos aumentativos: -aço, -aça, -arra, -ão, -orra, -ona, -alha, -aréu, -uça, -orra, -ázio, -astro, -az.

Exemplos:

  • inchaço
  • barcaça
  • bocarra
  • cabeção
  • chorona
  • gentalha
  • fogaréu
  • dentuça
  • beiçorra
  • copázio
  • medicastro
  • cartaz

A utilização das formas sintéticas geralmente estão relacionadas ao sentido conotativo da linguagem, caracterizando uma função expressiva. Isso porque as formas sintéticas em grau aumentativo ou diminutivo contribuem para a manifestação de subjetividades de conotações tanto afetivas, como em “filhinho”, “mãezinha”, “amigão”, quanto pejorativas, como em “narigão”, “bocarra”, “capataz”.

Grande parte dos substantivos flexionados em grau diminutivo sintético é formada pelo acréscimo de sufixos como: -inho, -inha, -zinho, -zinha, mas há diversos outros sufixos formadores diminutivo chamados de irregulares. Veja uma tabela com alguns diminutivos sintéticos irregulares:

Substantivo em grau normal Substantivo em grau
diminutivo sintético irregular
barba barbicha
cão canito, cãozinho
corpo corpúsculo
diabo diabrete
estátua estatueta
farol farolete
flauta flautim
frango frangote
globo glóbulo
gordo gorducho
homem homúnculo
ilha ilhéu, ilhota
lugar lugarejo
obra opúsculo
pezito
pele película
poema poemeto
povo populacho
questão questiúncula
rabo rabicho
rapaz rapazito
rio riacho, ribeiro, regato
rua ruela
verso versículo
vila vilela, vileta, vilola, vilarejo

 

Aumentativo analítico e Diminutivo analítico

Ocorrem por meio do acréscimo de um adjetivo que indique aumento ou diminuição.

a) Aumentativo analítico:

  • Cachorro grande
  • Cachorro enorme

Exemplos de adjetivos que indicam aumento: grande, enorme, vasto, grandíssimo, imenso, colossal, gigantesco, desmedido, descomunal.

b) Diminutivo analítico

  • Cachorro pequeno
  • Cachorro minúsculo

Exemplos de adjetivos que indicam diminuição: pequeno, pequenino, mínimo, minúsculo, diminuto, miúdo, insignificante, reduzido.

Na Língua Portuguesa, alguns substantivos têm sua forma originária em grau aumentativo ou diminutivo, como é o caso de “cartão”, “portão”, “mamão”, “cordão”; “cartilha”, “sineta”. Entretanto, com o tempo, a noção de grau deu lugar à especialização do sentido e esses substantivos são classificados como “grau normal”.

Leia também:

Arquivado em: Português