Futuro do pretérito do indicativo

Graduada em Letras-Português (USP, 2011)

Para a formação dos tempos verbais, consideramos o momento em que é realizada a enunciação e a partir dessa referência construímos a noção de tempo para as ações, fatos, ou fenômenos expressos pelos verbos nas orações. Assim, quando nos referimos, por exemplo, a ações posteriores à época sobre a qual falamos temos o futuro do pretérito do indicativo.

Podemos expressá-lo de duas formas: futuro do pretérito simples ou composto (formado a partir do verbo auxiliar ter + o particípio passado do verbo principal).

Vejamos exemplos de empregos do futuro do pretérito nas duas formas:

1. Futuro do pretérito do indicativo simples

a. Indica ações posteriores ao momento sobre o qual se fala:

Firmados os primeiros acordos, negociaríamos os novos termos do contrato.

Estás certo de que, depois de passadas as primeiras semanas da mudança, não te arrependeria de mudar de país?

b. Designa incerteza a respeito de fatos passados:

Aquela mulher que esteve aqui procurando a Lucia, quem seria?

c. Pode ser usado como forma polida denotando um desejo, alternativamente ao presente:

Gostaria de conversar com o delegado sobre o que vi naquela noite.

Viemos dizer-te que desejaríamos depor a seu favor.

d. Também pode ser usado para denotar surpresa ou indignação:

Quem diria que o Marcos seria capaz de trair a própria esposa?

e. Pode indicar fatos que não se realizaram e provavelmente não se realizarão, associados a uma condição:

Se não tivéssemos perdido tanto dinheiro, nós compraríamos a casa.

2. Futuro do pretérito do indicativo composto

a. Indica um fato que se realizaria no passado, entretanto, com uma condição:

Se tivéssemos conversado antes, essa tragédia não teria acontecido.

b. Pode ser usado para indicar a possibilidade de um fato já passado:

Maria Amélia, com aquela voz tão linda, teria sido uma grande cantora!

O seguinte paradigma flexional é usado para a conjugação dos verbos regulares no futuro do pretérito do indicativo:

Forma simples

 

Verbo falar (-ar, 1ª conjugação)
1ª pessoa – singular Eu falaria
2ª pessoa – singular Tu falarias
3ª pessoa – singular Ele/ela falaria
1ª pessoa – plural Nós falaríamos
2ª pessoa – plural Vós falaríeis
3ª pessoa – plural Eles/elas falariam

 

Verbo temer (-er, 2ª conjugação)
1ª pessoa – singular Eu temeria
2ª pessoa – singular Tu temerias
3ª pessoa – singular Ele/ela temeria
1ª pessoa – plural Nós temeríamos
2ª pessoa – plural Vós temeríeis
3ª pessoa – plural Eles/elas temeriam

 

Verbo subir (-ir, 3ª conjugação)
1ª pessoa – singular Eu subiria
2ª pessoa – singular Tu subirias
3ª pessoa – singular Ele/ela subiria
1ª pessoa – plural Nós subiríamos
2ª pessoa – plural Vós subiríeis
3ª pessoa – plural Eles/elas subiriam

 

Forma composta

 

Verbo falar (-ar, 1ª conjugação)
1ª pessoa – singular Eu teria falado
2ª pessoa – singular Tu terias falado
3ª pessoa – singular Ele/ela teria falado
1ª pessoa – plural Nós teríamos falado
2ª pessoa – plural Vós teríeis falado
3ª pessoa – plural Eles/elas teriam falado

 

Verbo temer e subir
(-er / -ir, 2ª e 3ª conjugações, respectivamente)
1ª pessoa – singular Eu teria temido / subido
2ª pessoa – singular Tu terias temido / subido
3ª pessoa – singular Ele/ela teria temido / subido
1ª pessoa – plural Nós teríamos temido / subido
2ª pessoa – plural Vós teríeis temido / subido
3ª pessoa – plural Eles/elas teriam temido / subido

Bibliografia:

CUNHA, C.; CINTRA, L. Nova Gramática do Português Contemporâneo. 6ª ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2013. 800 p.

CEGALLA, D. P. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. 48ª ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional. 2009. 696 p.

Arquivado em: Português