Ecólogo

Mestre em Ecologia e Evolução (Unifesp, 2015)
Graduada em Ciências Biológicas (Unifesp, 2013)

A ecologia pode ser definida como o estudo da distribuição e abundância dos organismos e das suas interações, que por sua vez determinam a distribuição e abundância. O termo foi usado pela primeira vez por Ernst Haeckel em 1866, originalmente em alemão: ökologie (do grego “oikos” = casa e “logos” = estudo).

Símbolo da Ecologia

O profissional que se dedica ao estudo da ecologia é o ecólogo. Por ser uma área da biologia, profissionais formados em ciências biológicas (ou em outras áreas correlatas) podem se especializar e realizar pesquisas em ecologia, sendo, portanto, chamados de ecólogos. Entretanto, mais recentemente surgiram cursos superiores voltados exclusivamente à formação profissional de ecólogos. A quantidade de cursos de graduação e pós-graduação nessa área vem experimentando um crescimento nos últimos anos, o que parece ser resultado das atuais demandas da sociedade no que se refere à preservação do meio ambiente.

No Brasil, atualmente, oito universidades oferecem cursos de bacharelado em ecologia, são elas: Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Universidade Católica de Pelotas (UCPEL), Universidade Estadual Paulista (UNESP), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal de Goiás (UFG), Universidade Federal de Sergipe (UFS), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA).

No mercado de trabalho, são algumas das atribuições do ecólogo: formular, executar, avaliar e coordenar projetos e pesquisas relacionadas à preservação e recuperação de ecossistemas, ao diagnóstico e monitoramento ambiental, à criação, e implementação de unidades de conservação, ao diagnóstico socioambiental, à certificação e licenciamento ambiental etc.; formular, executar, avaliar e coordenar planos diretores, planos de bacias hidrográficas, planos de controle ambiental, planos de manejo, planos de recuperação de áreas degradadas, avaliação de riscos ambientais e propostas de medidas mitigadoras para resolução de problemas ambientais; realizar a educação ambiental exercer o magistério em ecologia; realizar vistorias, perícias, bem como assinar pareceres e laudos técnicos relacionados à área; dirigir unidades de conservação, órgãos, serviços, departamentos, grupos e setores relacionados à área; entre outras.

A profissão de ecólogo ainda não é regulamentada no Brasil, mas há um Projeto de Lei (PLC 105/2013) com este propósito em tramitação, já aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) e pronto para deliberação do Plenário. Segundo o projeto, a profissão de ecólogo será exercida apenas por profissionais com Bacharelado em Ecologia.

Em 2009, um Projeto de Lei similar foi vetado pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sob a justificativa de alguns pontos, como o campo de atuação e regras de fiscalização não estarem muito claros. Além disso, não estabelecia precisamente que profissionais de outras áreas (como biólogos, engenheiros florestais, entre outros) poderiam exercer atribuições similares, o que poderia gerar insegurança para os profissionais já atuantes na ecologia.

Referências:

Ministério da Educação. Acesso em 09/2018.

Regulamentação da profissão de ecólogo é aprovada na CAS e segue para Plenário. Senado Federal. Acesso em: 09/2018.

Projeto de Lei da Câmara Nº 105 de 2013. Senado Federal. Acesso em: 09/2018.

Neves, C. e Tauchen, G. Cursos de graduação em ecologia no Brasil: aproximações pragmáticas. Ambiente & Sociedade. 2014.

Arquivado em: Ecologia, Profissões