Betume

Especialista (MBA) em Gestão da Qualidade Total (UFF, 2013)
Graduada em Química, Tecnóloga (Unigranrio, 2011)
Graduada em Ciências Biológicas (Unigranrio, 2006)

Em alguns países, como os Estados Unidos, o termo betume e asfalto/cimento asfáltico possuem o mesmo significado. No inglês australiano o betume é o termo genérico utilizado para superfícies de estradas. Já no inglês canadense o betume se refere as imensas jazidas de petróleo encontradas no Canadá.

O betume é um dos componentes do asfalto que apresenta propriedades ligantes, promovendo a aglutinação entre os componentes da mistura. Existem registros históricos do uso de materiais betuminosos na Mesopotâmia, Grécia e Roma como impermeabilizante e aglutinante, nas citações bíblicas e no uso em mumificações no Egito.

Atualmente, sua aplicação ocorre principalmente a área civil, sendo utilizado na impermeabilização de coberturas de edifícios e pavimentações de estradas. A partir do betume também podem ser produzidos insumos como vernizes, bases para tintas e massas de revestimento.

Pode ser natural ou constituído pelo resíduo originado a partir da destilação do petróleo. O material abrange uma mistura complexa de compostos orgânicos, praticamente não volátil, solúvel no bissulfeto de carbono, viscoso, impermeável a água e quase sólido à temperatura ambiente. Na figura abaixo está esquematizado os ligantes betuminosos.

Os materiais ligantes podem ser hidrofóbicos e hidrocarbonados. Os ligantes hidrofóbicos repelem a água e com o aumento da viscosidade formam estruturas coloidais que promovem o enrijecimento do material. A hidrofobia de alguns componentes pode seguir a seguinte escala: alcatrão > betumes (naturais e artificiais) > asfaltos > resinas.

Os ligantes hidrocarbonados são substâncias provenientes do carvão, do óleo bruto ou de outros materiais orgânicos. Podem ser classificados em betume ou betume asfáltico. O betume artificial ou natural, é originado de hidrocarbonetos pesados. Os asfaltos, as rochas asfálticas, os alcatrões, o breu e o piche são materiais betuminosos. Suas características gerais podem ser verificadas no quadro a seguir.

Material Características geais
Asfaltos É formado por asfaltenos, resinas e hidrocarbonetos pesados, com a predominância do betume como material ligante.
Rochas asfálticas São rochas sedimentares calcárias ou areníticas, que apresentam na sua composição cerda de 10 a 30 % de asfalto (folhetos pirobetuminosos)
Alcatrão Proveniente da destilação do carvão, é resultante da fabricação do gás e do coque.
Breu É um subproduto originado da destilação do alcatrão.
Piche É um subproduto originado da destilação do alcatrão. No entanto, corresponde uma mistura de 11 – 17% de betume com argila e pedrisco.

Fonte: http://www.petrobazaar.com

O betume asfáltico proveniente do petróleo é produzido por meio de técnicas de destilação direta, insuflação ou “cracking”. Compreendem os betumes fluidificados produzidos pela a adição de solventes com ponto de evaporação baixo, emulsões betuminosas que contêm na sua composição tensoativos que promovem a dispersão das moléculas de betume na água e betumes asfálticos com proporções de carbonoides (0,1%), carbenos (0,2%), asfaltenos (30%) e maltenos (70%).

Existem pesquisas que buscam aprimorar as aplicações dos materiais betuminosos. O uso de materiais betuminosos temperados na pavimentação rodoviária é uma alternativa. Durante o seu processo necessitam de menor temperatura na fase de produção e compactação, consequentemente diminuindo os custos com a energia e a exposição dos colaboradores aos gases emitidos. Outro exemplo, é o uso de polímeros na mistura de pavimentações que minimizam o impacto.

Fontes:

http://www.petrobazaar.com/what-is-bitumen-asphalt-tar-10321.html

http://www.world-of-rheology.com/pt/industrias/asfaltobetume/

https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/61663/1/000148986.pdf

http://www.anp.gov.br

http://www.dtt.ufpr.br/Pavimentacao/Notas/Mod.%204%20-%20Materiais%20Asfalticos.pdf

https://engenharia-civil-virtual.blogspot.com.br/2013/09/betumes.html

http://objdig.ufrj.br/60/teses/coppe_m/BiancaDeSousaPizzorno.pdf

https://fenix.tecnico.ulisboa.pt/downloadFile/395144359954/Disserta%C3%A7%C3%A3o.pdf

Arquivado em: Materiais