Betume

Especialista (MBA) em Gestão da Qualidade Total (UFF, 2013)
Graduada em Química, Tecnóloga (Unigranrio, 2011)
Graduada em Ciências Biológicas (Unigranrio, 2006)

Sempre abrir.

Em alguns países, como os Estados Unidos, o termo betume e asfalto/cimento asfáltico possuem o mesmo significado. No inglês australiano o betume é o termo genérico utilizado para superfícies de estradas. Já no inglês canadense o betume se refere as imensas jazidas de petróleo encontradas no Canadá.

O betume é um dos componentes do asfalto que apresenta propriedades ligantes, promovendo a aglutinação entre os componentes da mistura. Existem registros históricos do uso de materiais betuminosos na Mesopotâmia, Grécia e Roma como impermeabilizante e aglutinante, nas citações bíblicas e no uso em mumificações no Egito.

Atualmente, sua aplicação ocorre principalmente a área civil, sendo utilizado na impermeabilização de coberturas de edifícios e pavimentações de estradas. A partir do betume também podem ser produzidos insumos como vernizes, bases para tintas e massas de revestimento.

Pode ser natural ou constituído pelo resíduo originado a partir da destilação do petróleo. O material abrange uma mistura complexa de compostos orgânicos, praticamente não volátil, solúvel no bissulfeto de carbono, viscoso, impermeável a água e quase sólido à temperatura ambiente. Na figura abaixo está esquematizado os ligantes betuminosos.

Os materiais ligantes podem ser hidrofóbicos e hidrocarbonados. Os ligantes hidrofóbicos repelem a água e com o aumento da viscosidade formam estruturas coloidais que promovem o enrijecimento do material. A hidrofobia de alguns componentes pode seguir a seguinte escala: alcatrão > betumes (naturais e artificiais) > asfaltos > resinas.

Os ligantes hidrocarbonados são substâncias provenientes do carvão, do óleo bruto ou de outros materiais orgânicos. Podem ser classificados em betume ou betume asfáltico. O betume artificial ou natural, é originado de hidrocarbonetos pesados. Os asfaltos, as rochas asfálticas, os alcatrões, o breu e o piche são materiais betuminosos. Suas características gerais podem ser verificadas no quadro a seguir.

Material Características geais
Asfaltos É formado por asfaltenos, resinas e hidrocarbonetos pesados, com a predominância do betume como material ligante.
Rochas asfálticas São rochas sedimentares calcárias ou areníticas, que apresentam na sua composição cerda de 10 a 30 % de asfalto (folhetos pirobetuminosos)
Alcatrão Proveniente da destilação do carvão, é resultante da fabricação do gás e do coque.
Breu É um subproduto originado da destilação do alcatrão.
Piche É um subproduto originado da destilação do alcatrão. No entanto, corresponde uma mistura de 11 – 17% de betume com argila e pedrisco.

Fonte: http://www.petrobazaar.com

O betume asfáltico proveniente do petróleo é produzido por meio de técnicas de destilação direta, insuflação ou “cracking”. Compreendem os betumes fluidificados produzidos pela a adição de solventes com ponto de evaporação baixo, emulsões betuminosas que contêm na sua composição tensoativos que promovem a dispersão das moléculas de betume na água e betumes asfálticos com proporções de carbonoides (0,1%), carbenos (0,2%), asfaltenos (30%) e maltenos (70%).

Existem pesquisas que buscam aprimorar as aplicações dos materiais betuminosos. O uso de materiais betuminosos temperados na pavimentação rodoviária é uma alternativa. Durante o seu processo necessitam de menor temperatura na fase de produção e compactação, consequentemente diminuindo os custos com a energia e a exposição dos colaboradores aos gases emitidos. Outro exemplo, é o uso de polímeros na mistura de pavimentações que minimizam o impacto.

Fontes:

http://www.petrobazaar.com/what-is-bitumen-asphalt-tar-10321.html

http://www.world-of-rheology.com/pt/industrias/asfaltobetume/

https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/61663/1/000148986.pdf

http://www.anp.gov.br

http://www.dtt.ufpr.br/Pavimentacao/Notas/Mod.%204%20-%20Materiais%20Asfalticos.pdf

https://engenharia-civil-virtual.blogspot.com.br/2013/09/betumes.html

http://objdig.ufrj.br/60/teses/coppe_m/BiancaDeSousaPizzorno.pdf

https://fenix.tecnico.ulisboa.pt/downloadFile/395144359954/Disserta%C3%A7%C3%A3o.pdf

Arquivado em: Materiais