Tópicos Introdutórios em Estrutura Atômica para o 1° ano do Ensino Médio

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Este artigo foi útil?
Considere fazer uma contribuição:


Ouça este artigo:

Não é raro encontrarmos alunos que já concluíram o 1° ano do Ensino Médio e não sabem o que é o átomo, ou não compreendem as leis básicas pelas quais a matéria interage entre si. Uma das alternativas para chegarmos a respostas para essas questões aponta a uma ampla necessidade de despertar no educando o seu interesse pelas ciências, e isso torna-se mais facilitado quando este educando compreende aquilo que está sendo tratado. Abaixo apresenta-se alguns tópicos em Estrutura Atômica, que estão em uma linguagem mais próxima do educando do que aquelas encontradas nos livros didáticos, ao menos na opinião de quem as escreveu.

- O átomo pode hoje ser definido como a menor porção da matéria que conserva as suas propriedades químicas e físicas, ou seja, traz consigo a identidade do material do qual faz parte. Não é correto apenas o definirmos como a menor partícula da matéria, uma vez que é ainda composto por subpartículas.

- O átomo é formado por duas regiões fundamentais: o núcleo (região central do átomo) e a eletrosfera (região periférica do átomo), sendo que entre ambas impera o vazio, ou seja, nada há de tangível.

- O núcleo do átomo é constituído por prótons (dotados de carga positiva) e nêutrons (sem carga elétrica). A região da eletrosfera é formada pelo movimento dos elétrons (dotados de carga elétrica negativa).

- O número de prótons, quando igual ao número de elétrons, torna o átomo uma partícula neutra, isenta de carga elétrica.  Quando o átomo apresenta número de elétrons maior do que o de prótons, teremos um ânion; quando o número de prótons é superior ao de elétrons, teremos um cátion. Tanto cátion como ânion podem ser chamados de íons.

- O número de prótons (p) existente em um átomo recebe o nome de número atômico (simbolizado por Z). Assim, Z = p. O somatório entre prótons e nêutrons de um átomo recebe o nome de número de massa (simbolizado por A). Assim, A = p + n.

- Os elétrons de um átomo podem ser distribuídos em níveis, subníveis e orbitais, de acordo com a energia que apresenta. Um importante instrumento de verificação do nível de energia eletrônico é o diagrama de Linus Pauling. Assim, temos, por exemplo, 1s², 2s², 2p², 3s²...; onde o número maior indica o nível, a letra indica o subnível, e o somatório dos expoentes indica número total de elétrons do átomo.

Referências:
FELTRE, Ricardo; Fundamentos da Química, vol. Único, Ed. Moderna, São Paulo/SP – 1990.

Arquivado em: Química