Metabolismo e Alimentação das Bactérias

Existem duas classes de nutrientes que são indispensáveis às bactérias: macronutrientes (carbono, oxigênio, nitrogênio, enxofre, fósforo e hidrogênio) e micronutrientes (ferro, zinco, manganês, cálcio, potássio, sódio, cobre, cloro, cobalto, molibdênio, selênio, magnésio, entre tantos outros). Mas é preciso mais que os nutrientes para que elas se alimentem, é preciso o metabolismo, pois é através dele que elas transformam o que tem à disposição em alimento.

Bactérias. (Ilustração: © iStock.com / zentilia)

Bactérias. (Ilustração: © iStock.com / zentilia)

Considerando seu metabolismo dependente de fontes de carbono, as bactérias podem ser autotróficas (ex.: espécies que produzem matéria orgânica através da fotossíntese) ou heterotróficas (ex.: espécies parasitas). No primeiro caso elas adquirem as moléculas de que precisam através do dióxido de carbono, já no segundo caso elas captam do ambiente o alimento de que necessitam. As heterotróficas podem ser bactérias anaeróbias obrigatórias (morrem na presença de oxigênio), anaeróbias facultativas (suportam bem a ausência ou a presença de oxigênio) ou aeróbias obrigatórias (só sobrevivem se houver oxigênio).

Porém, se levarmos em consideração seu metabolismo baseado na fonte de energia, teremos bactérias dependentes de luz ou de compostos químicos. Se for de luz, captam energia solar através da bacterioclorofila (um tipo específico de clorofila), no momento em que fazem a fotossíntese. Se for de composto químico, a energia adquirida será a química e mais tarde será convertida em energia de ligação para unir compostos inorgânicos oxidados. Esta reação acontece na ausência de luz solar, por isso conhecida como reação de escuro.

A absorção de nutrientes para a realização do metabolismo só ocorre porque há fatores de crescimento (ambientais) que influenciam no desenvolvimento da bactéria. Alguns exemplos desses fatores são: luz, temperatura, pH, oxigênio e pressão osmótica. Cada organismo tem uma temperatura ótima de crescimento, ou um pH favorável para realizar seu metabolismo com sucesso. Isso vai variar de espécie para espécie.

Bibliografia:
http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos/biomonera2.php
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bactéria
http://www.fop.unicamp.br/microbiologia/aulas/fisiologia_bacteriana.pdf

Arquivado em: Reino Monera