Ortodoxos

Ouça este artigo:

Os ortodoxos são os seguidores da Igreja Ortodoxa, uma Igreja cristã com aproximadamente dois mil anos. Também conhecida como Igreja Católica Apostólica Ortodoxa ou Igreja Cristã Ortodoxa, este grupo enxerga-se como a verdadeira Igreja instituída por Jesus Cristo. Apesar disso, sua doutrina é parecida com a da Igreja Católica, valorizando costumes como o uso de vestes litúrgicas nos seus cultos, o respeito a ícones e preservação dos sete sacramentos.

Foi durante o século XI que ocorreu a separação entre a Igreja Católica Apostólica Romana e a Igreja Ortodoxa. Devido a isto, os cristãos ortodoxos não reconhecem o Papa como autoridade e renegam alguns dogmas mais atuais como o da infalibilidade do Papa e o da Imaculada Conceição, além de não considerarem a validade dos sacramentos feitos por confissões cristãs que não sejam ortodoxas.

Esta divisão e conflito de interesses entre as duas Igrejas tem um longo histórico. Sua história é comum apenas até a chegada do século XI. Antes disso,  o Primeiro Concílio de Niceia, ocorrido em 325, havia estabelecido a Pentarquia, na qual a Igreja teria sua organização sob os cinco patriarcas: bispos da Constantinopla, Jerusalém, Alexandria, Antioquia e Roma, sendo o bispo romano o primeiro (primus) entres os patriarcas.

Porém, em 1054 houve a Grande Cisma entre as Igrejas Cristãs, que separou a Igreja entre a Igreja Católica no Ocidente e a Igreja Ortodoxa no Leste (Grécia, Rússia e terras eslavas, Anatólia, Síria, Egipto, entre outros). Historiadores latinos alcunharam essa divisão como Cisma do Oriente, já os orientais e anglo-saxões chamam-na de Grande Cisma.

Esta divisão entre grupos que divergiam ocorreu devido a diversos acontecimentos históricos. Entres estes fatores, está a transferência da residência papal para a Constantinopla no ano de 330 d.C. Assim, o Bispo romano acaba por perder influência para o Bispo de Constantinopla nas igrejas do oriente. A divisão foi agravada com o início de um distanciamento entre Roma e os outros patriarcados. Após a separação do Império Romano (395) e o fracasso de Justiniano na reunificação, Ocidente e Oriente tornam-se dois impérios diferentes.

Diferenças

Ao contrário da Igreja Católica Apostólica Romana, que tem o Papa Romano como patriarca, o chefe espiritual das Igrejas Ortodoxas é o Patriarca de Constantinopla. A maioria das Igrejas ortodoxas usa o rito bizantino, que possui aproximadamente 1600 anos. Outra diferença é que, para os ortodoxos, há um único chefe da Igreja, sem representantes, que é Jesus Cristo. O Santo Sínodo Ecumênico é a autoridade suprema da Igreja Ortodoxa. Ele é formado pelos arcebispos-primazes das igrejas autônomas e pelos patriarcas chefes das igrejas autocéfalas, que são reunidos pelo Patriarca Ecumênico de Constantinopla.

Fontes:
DELUMEAU, Jean. De religiões e de homens. São Paulo: Loyola, 2000.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ortodoxia

Arquivado em: Religião