A importância de se praticar um esporte

Graduação em Educação Física (Unesp, 1999)
Mestre em Ciências da Motricidade (Unesp, 2002)
Doutorado em Integração da América Latina (USP, 2013)

Publicado em 27/04/2022
Ouça este artigo:

Conceitua-se esporte como uma prática individual ou coletiva, com regras definidas, competitiva e, cujo ganhador, recebe recompensa do tipo extrínseca. Mas, nessa proposta, vamos entender esporte como exercício físico em geral. Portanto, qual a importância da prática esportiva (ou de exercícios físicos)?

Em primeiro lugar, é possível responder da forma mais popular possível: a manutenção da saúde. Assim, doenças como cardiovasculares, câncer de cólon, câncer de mama, diabetes tipo 2 e depressão podem ser prevenidas no caso da prática do exercício físico, desde que seja feito no mínimo cento e cinquenta minutos em intensidade de moderada a vigorosa, por semana. No caso da depressão, por exemplo, o Brasil vem se configurando como o país com a maior quantidade de casos, totalizando 59% da população, como mostra o artigo da CNN (2021). O estudo de Barros et.al. (2017) que procura correlacionar a depressão com comportamentos saudáveis em adultos brasileiros mostra que sintomas tendem a ficar mais graves, em um quadro depressivo, quando os comportamentos de saúde são menores. Assim, a atividade física ganha força também no que se refere à prevenção e ao tratamento dessa condição de saúde.

A Organização Mundial da Saúde preconiza entre 150 e 300 minutos por semana de atividade física, em intensidade de moderada a vigorosa. O estudo de Dumith et.al. (2019) mostra que, de fato, a atividade física promove muitos benefícios à saúde do praticante, mas os autores analisaram separadamente os benefícios entre práticas em intensidade moderada e práticas de intensidade vigorosas. Segundo os autores a atividade física moderada se mostrou eficaz como proteção ao estresse, já a atividade física vigorosa se mostrou eficaz como fator protetor para obesidade, hipertensão e diabetes.

Um caso muito interessante é o da hipertensão: hipertensos que iniciam a prática de atividade física tendem a reduzir o quadro de hipertensão. Segundo Silveira Junior et.al. (1999), ainda não se sabe quais são os mecanismos que fazem com que o exercício físico reduza a pressão arterial, mas é fato que ele melhora a condição da pressão arterial.

Outro fator relevante para a prática da atividade física é o lazer. Lazer é aquilo que se permite praticar em seu tempo livre, tem como objetivo máximo o prazer, por isso se diz que o tipo de recompensa que o praticante recebe é de tipo intrínseco. Isso significa que praticar qualquer tipo de exercício físico pode ser, sim, uma prática de lazer ou uma prática prazerosa. E esse é um ponto relevante no que se refere à importância de se praticar um esporte.

Mais um ponto importante que justifica a prática do exercício físico, tanto em adultos quanto em idosos, tem-se a manutenção das capacidades físicas desenvolvidas inicialmente, mas mantidas ao longo da vida. As capacidades físicas podem ser perdidas em idades mais avançadas, caso os exercícios físicos não sejam mantidos.

Portanto, foram apresentados três pontos relevantes para que a prática do exercício físico seja iniciada ou mantida na idade adulta e/ou idosa: a questão da saúde que pode englobar prevenção, manutenção e até cura de algumas patologias. Foram vistas apenas a depressão e a hipertensão, mas poderiam ser tratados o diabetes, a obesidade e a ansiedade, por exemplo. Depois, há a importância de se praticar esporte, sob o viés do lazer, que nada mais resulta do que na prática do jogo. E, finalmente, há o olhar sob o desenvolvimento das capacidades físicas na infância e na adolescência e a manutenção dessas mesmas capacidades ao longo da vida, num esforço de não perde-las a partir da inatividade física ou sedentarismo.

Referências:

BARROS, M.B.A. et.al. Depression and health behaviors in brazilian adults – PNS 2013. Revista de saúde pública 51 (1), 2017. Disponível em https://doi.org/10.1590/S1518-8787.2017051000084. Acesso em 28/02/2022.

DUMITH, S.C. et.al. Preditores e condições de saúde associados à prática de atividade física moderada e vigorosa em adultos e idosos no sul do Brasil. Revista brasileira de epidemiologia, 22, 2019. Disponível em https://doi.org/10.1590/1980-549720190023. Acesso em 28/02/2022.

RIGUE, A. Atividades físicas são aliadas da saúde mental. São Paulo: CNN, 2021. Disponível em https://www.cnnbrasil.com.br/saude/brasil-lidera-casos-de-depressao-na-quarentena-aponta-pesquisa-da-usp/. Acesso em 28/02/2022.

SILVEIRA JÚNIOR, P.C.S. et.al. Os efeitos da atividade física na prevenção da hipertensão. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v.5, n.2, 1999. Disponível em https://www.scielo.br/j/rbme/a/HXpP6HJYtgFm4VRSSzmcDWn/?format=pdf&lang=pt. Acesso em 28/02/2022.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Educação Física, Saúde