Profilaxia Pré-Exposição (PrEP)

Doutora em Ciência Animal (UFG, 2020)
Mestrado em Ciências Veterinárias (UFU, 2013)
Graduação em Ciências Biológicas (UEG, 2010)

A Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) consiste em protocolos médicos que previnem a infecção e a consequente evolução de uma doença por determinados patógenos, antes mesmo do contato do indivíduo com eles. Devido seu caráter preventivo, não é utilizado para tratar e tampouco após a exposição.

PrEP para o HIV

A Organização Mundial de Saúde recomenda desde 2014 a PrEP para prevenir o HIV (vírus da imunodeficiência humana) e ela já vem sendo usada em países como EUA, França, Quênia, Peru e Austrália há mais tempo.

No Brasil, o Ministério da Saúde passou a oferecer e recomendar a PrEP HIV desde 2016, como fruto de uma pesquisa de 2015 executada por diversas instituições como a Fiocruz, Faculdade de Medicina da USP, Centro de Referência e Treinamento em DST/AIDS-SP, entre outras, que a testou em 500 participantes obtendo resultados seguros e eficazes.

No período de agosto de 2018 a novembro de 2019 foram cadastrados 9.346 usuários e feitas 57.580 dispensações de medicamentos para a PrEP HIV no Sistema Único de Saúde (SUS), em 173 unidades pelo Brasil. Dos indivíduos, 77% relataram ter tomado os medicamentos todos os dias e 35% relataram algum efeito colateral.

Em diversas pesquisas realizadas com o protocolo recomendado para o HIV foram reduzidos o risco de infecção em homens que fazem sexo com homens e casais sorodiferentes heterossexuais em 92% e 90%, respectivamente. Dessa forma, é notável sua importância para aqueles vulneráveis a infecção por HIV.

Como é feita a PrEP para o HIV

A PrEP utilizada para prevenir o HIV consiste em ingerir diariamente um medicamento antirretroviral que combina tenofovir e entricitabina. Esses compostos bloqueiam os mecanismos de infecção do HIV inibindo a enzima transcriptase reversa do vírus, necessária para introduzir seus genes na célula hospedeira. Outra ação é o aumento das células T CD4 do indivíduo para que ele se torne ainda mais imunocompetente contra o vírus.

O efeito preventivo do medicamento começa após 7 dias para sexo anal passivo e 21 dias para sexo vaginal, pois o medicamento demora mais tempo para atingir as concentrações necessárias na mucosa da vagina.

Esse método previne a infecção apenas por HIV, de forma que o indivíduo continua em risco de contrair outras infecções sexualmente transmissíveis (IST), como sífilis, gonorreia, hepatite, herpes, clamídia, entre outras. Por isso, é necessária a utilização do preservativo, o único método que previne todas as outras ISTs e o HIV.

Esse medicamento só deve ser utilizado se a pessoa não for infectada pelo HIV, por isso, é necessário fazer um exame anterior ao início da medicação e o seu acompanhamento deve ser feito trimestralmente. Em casos de indivíduos soropositivos para e aqueles que passaram por um evento de contaminação, os protocolos de medicamentos são diferentes, por isso, não é recomendado.

Ademais, os efeitos colaterais consistem em problemas gastrointestinais, são leves e passam com o tempo de utilização.

Para quem é recomendado a PrEP para o HIV

A PrEP HIV pode ser utilizada por qualquer pessoa, já que todos tem o direito de escolher como viver a sua sexualidade e pode se beneficiar dessa prevenção.

No entanto, os medicamentos, a orientação e o acompanhamento quanto a PrEP HIV são disponibilizados pelo SUS para pessoas que se encontrem em vulnerabilidade em relação a infecção por esse vírus. Na prática e historicamente encontram-se nessa condição:

  • Quem possui um parceiro sexual HIV positivo, os chamados casais sorodiferentes.
  • Profissionais do sexo;
  • Homens gays, bissexuais, mulheres trans e homens que fazem sexo com homens.

As pessoas que aderem ao programa de utilização da PrEP do SUS comprometem-se a tomar o medicamento todos os dias, são orientados quanto a formas de sexo seguro, como a utilização de preservativo a diminuição do número de parceiros sexuais.

O medicamento também é vendido em farmácias especializadas no Brasil, mas ainda possui alto custo. Por isso, tem-se demandados esforços para que haja a patente do medicamento no país e a redução de seu custo de venda.

Referências:

ANAIDS. 2016. Anaids pede que Truvada seja fornecido por menor preço. Gilead responde que já negocia “preço inferior”. Disponível em: http://agenciaaids.com.br/noticia/anaids-pede-que-truvada-seja-fornecido-por-menor-preco-gilead-responde-que-ja-negocia-preco-inferior/. Acesso em 12/01/2020.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. PrEP (Profilaxia Pré-Exposição). Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/prevencao-combinada/prep-profilaxia-pre-exposicao. Acesso em 12/01/2020.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Blog da Saúde. 2017. Saiba como funciona a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) para HIV. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/52697-saiba-o-que-e-como-funciona-e-pra-quem-e-indicada-a-profilaxia-pre-exposicao-prep-para-hiv. Acesso em 12/01/2020.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Arquivado em: Saúde